Arquivo da tag: ovos

Pousada Infinito: refúgio em Mauá com um café da manhã simplesmente inesquecível!

A dica de hoje não é um restaurante ou uma receita. Vou fugir um pouco do habitual, mas sem perder a essência do blog. Isso porque no primeiro fim de semana do ano fui para Mauá com Luninha. Opções de locais para ficar não faltam e a pesquisa sempre é longa. Mas o amigo Leleco, aquele do Brownie, deu a dica e descobrimos a Pousada Infinito (confira aqui o site oficial). Localizada no lado mineiro de Maringá, a pousada é administrada pelo casal Peres e Tânia, ao lado do filho Rodrigo e da nora Tatiana.

É daqueles lugares em que tudo é pensado e feito para você descansar sem ter maiores preocupações. A decoração é minimalista, os são chalés amplos e confortáveis. E a família, muito simpática e atenciosa, faz com que você se sinta quase como um convidado da casa deles.

310222_175414982536487_1720931157_n 314372_175415415869777_580827312_n

Mas por que estou falando de uma pousada em um blog de gastronomia? Porque além do que já citei, o café da manhã é simplesmente inacreditável. Esqueça buffet, ovo mexido ressecado, bolos sem graça, suco de caixinha… O cuidado é enorme e um verdadeiro banquete se desenrola ao longo de algumas etapas. Todas, por sinal, explicadas didaticamente pelo seu Peres. E preparadas com muito esmero pela Tânia.

A “festa” começa sempre com dois sucos e frutas. O de laranja é fixo e o outro muda diariamente. Tivemos abacaxi com hortelã no sábado e mamão com caju no domingo. Dentro do mamão, fatias de figo, carambola, ameixa, pêssego, uva e morango. Tudo muito fresco.

20140104_095034 20140104_095041

Em seguida vem a etapa do ovo. E vocês já sabem como eu sou viciado em ovo. E lá é caipira mesmo, com direito a gema laranja e extremamente saborosa. Assim como o suco, esta parte também muda. No sábado ele veio frito no centro de uma fatia de pão de ervas. Um show de sabores. Se a gema estivesse um pouquinho mais mole seria a perfeição. Ah! E ainda veio uma mini quiche de alho poró.

20140104_100328

No domingo, veio mexido com cubos de tomate e ervas recheando um pão folha crocante. Tudo extremamente saboroso e equilibrado. Como complemento, dois pedacinhos de uma inusitada e saborosa linguiça de truta, peixe de rio que você encontra em qualquer esquina de Mauá. Neste dia veio ainda um caldinho de baroa na canequinha.

20140105_095538

Acabou? Longe disso. Pães fresquinhos, incluindo aqui um waffle com massa de pão de queijo, chegam quentinhos para serem comidos com geleia, manteiga de primeiríssima linha e requeijão. Tudo, como seu Peres fez questão de deixar claro, fresquinho e feito na região. Ah, frios fininhos também chegam nessa hora junto com uma jarrinha de chocolate quente.

20140104_101235

Para finalizar, duas etapas simplesmente sensacionais. O iogurte caseiro é tão leve que lembra chantilly na textura. Inacreditável. Cheguei a repetir, principalmente o que veio com calda de acaí – no domingo foi de maracujá. E os bolinhos. O de laranja tava tão molhadinho que a mesa do lado disse que lembrava um petit gateau. Não é para tanto, mas aquele conforto que um bolo bem feito traz pela manhã você encontrava.

20140104_101638

No domingo, de chocolate com uma calda que entranhava pelo interior deixando tão molhadinho quanto. Finalizava de maneira perfeita uma manhã maravilhosa. Esse esqueci de fotografar!

O difícil depois deste banquete era levantar, calçar o tênis, encarar as esburacadas estradas e a caminhada pelo mato em busca das cachoeiras. Mas, além da digestão,  quando o resultado final é este visual tudo compensa. Simplesmente um fim de semana maravilhoso. E de paz. Muita paz!

20140104_131411

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Pousada Infinito
Entrada transversal à Alameda Gastronômica Tia Sofia, Visconde de Mauá RJ – Maringá Minas
(24) 3387-1771/ (21) 9 9559-3108 / (21) 9 9981-8118

 

Anúncios

Dica rápida para turbinar a carne moída que sobrou do dia anterior: um ovo e a alegria da gema escorrendo!

Estive um pouco afastado dos fogões nas últimas semanas. Até mesmo nas folgas, quando costumo abrir uma garrafa, separar alguns ingredientes e me debruçar diante de novas experimentações, não parei e me dediquei a esta forma de terapia. Mas no dia a dia sempre procuro dar um levante em comidas simples. E esta não é nem uma receita, mas sim uma dica.

20131018_124702

Não preciso repetir aqui como gosto de ovo e de carne moída. Então por que não juntar os dois? A receita do Boi Ralado você relembra aqui. Então o que você precisa agora é uma frigideira pequena, o que sobrou da sua carne do dia anterior e um belo ovo.

Posicione a carne na frigideira. Se por acaso ela ficou mais seca (por favor sigam a receita e façam a carne moída molhadinha sempre!!!), coloque um pinguinho de água, caldo de carne ou até molho de tomate. O objetivo é fazer um vapor para cozinhar o ovo. Espalhou, com uma colher faça buracos quase deixando o fundo da frigideira aparecer. Aí vão entrar os ovos. Se for colocar três ovos, faça três buracos e por aí vai.

20131018_123807 20131018_123920

Acabou. Não há mais mistério. Ligue o fogo no mínimo e tampe a frigideira. O tempo vai depender de como você gosta do seu ovo. Costumo deixar por cinco minutos, para a gema ficar bem molinha. Quando você a explode, ela se mistura na carne moída molhadinha formando um molho espetacular. Ao lado de uma boa salada fresca é algo absurdo. Mas o tempo pode variar também em função do seu fogão. Basta ficar de olho e ver o ponto!

20131018_123952 20131018_124911

Este é o mesmo princípio de uma outra receita que já coloquei aqui, o Popeye à Mineira. Uma maravilha também. Então repitam e depois é só me dizer como ficou. E até a próxima! Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Ovo poché com gema mole, aspargos, parma… Combinação perfeita em entrada deliciosa! Aprenda!

Ovo poché, aspargos frescos grelhados, parma fininho e com gordura na medida… Coroando a combinação clássica e perfeita, um fiozinho de azeite trufado. Curtiu? Então vamos para mais uma receita que pode ser feita já nesse fim de semana para receber os amigos e aproveitar o friozinho que tem feito nas noites para bebericar um bom tinto.

20130628_232151

As quantidades aqui são relativas. Depende de quantas pessoas você vai receber. Eu calculo dois aspargos, um ovo CAIPIRA e duas fatias de parma por pessoa. Éramos seis então foram 12 aspargos, seis ovos e mais ou menos 100 gramas de parma fininho.

20130628_210713

Vamos então à única etapa complicada no processo todo. Mas pensem no resultado final. Vale a pena. Poucas coisas são mais poéticas do que uma gema caipira escorrendo e tomando conta do prato unindo todos os ingredientes (reparou ali em cima?). Já havia explicado como fazer neste post aqui, mas vou resumir novamente. A técnica eu aprendi na aula que fiz na cozinha da Chef Roberta Sudbrack. É fundamental ter controle e paciência. Esquente uma panela com água e algumas gotas de vinagre. A água não precisa ferver. Coloque o dedo. Se você conseguir ficar com ele dentro mais ou menos 10 segundos este é o ponto.

Mexa a água e despeje os ovos previamente quebrados. Coloque uns três por vez no máximo. E tenha paciência. O processo dura entre 10 e 15 minutos. Esfriou a água? Ligue um pouco a chama do fogão. Esquentou, desliga. Aos poucos vá mexendo, sempre de maneira delicada a água, para que a clara envolva a gema. Isso pode não acontecer. Neste caso, separe e coma o ovo só com flor de sal mesmo. E coloque outro, afinal de contas você quer servir os mais bonitos para os amigos. Ficou pronto, deixe eles repousando em uma travessa com água aquecida.

20130628_212305 20130628_215125

Os aspargos são extremamente simples de fazer. Basta cortar a base maior, que é bem fibrosa e grelhar direto em uma panela aquecida com azeite. Tempere com sal e pimenta.

20130628_220557

Levei à mesa a travessa grande como pode ser vista aqui. Mas se você preferir resolver já empratado, sugiro a quantidade citada lá em cima. O azeite trufado você coloca na mesa. Um fiozinho só para não tomar conta dos demais sabores. Imperdível!

20130628_231423 20130628_232140

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Espinafre, ovo com gema mole… Receita simples e saudável.. Mas eu coloquei uma linguicinha…

Sou fanático por ovo. Já passei aqui aquela que considero a receita do ovo mexido perfeito. Mas não como só dessa maneira: faço estalado, poché com cogumelos… A versatilidade é incrível. Então vamos a mais uma dica. A receita serve para os amigos vegetarianos e até é bastante saudável. Mas como não consigo abrir mão da carne, utilizei uma linguicinha para dar um sabor a mais neste prato rápido de espinafre coroado com a nossa estrela de gema mole e laranja.

20130611_152304

Fiz uma pequena quantidade. Uma pessoa com muita fome ou duas que fizeram redução de estômago saem satisfeitos. Foram 250 gramas de espinafre cozido e picado (murchei rapidamente em água fervente), uma colher de sopa de alho picado, meia cebola pequena picada, sal, pimenta do reino, azeite e dois ovos (de preferência caipiras). Como disse lá em cima, a linguiça é opcional. Utilizei pelo sabor e porque tinham sobrado as pontas da minha receita com mel e shoyu.

20130611_150904

Nada pode ser mais simples. O azeite vai para a panela em fogo médio e o alho e a cebola refogam junto com a cebola. É bom deixar bem douradinho, com paciência…

20130611_151151

20130611_151408

Tempere com sal e pimenta e entre com o espinafre já cozido e picado. Refogue mais um pouquinho até chegar a hora da estrela da festa.

20130611_151520

Reduza o fogo para o mínimo possível, abra dois espacinhos em meio ao espinafre e coloque os ovos. Tampe a panela e tenha paciência. Alguns minutos depois você vai ver que o ovo cozinhou. Aí é só servir. Detalhe: se você não curte gema mole deixe mais tempo. Mas eu costumo deixar no máximo cinco minutos.

20130611_151713

20130611_151737

Comi neste dia com uma saladinha de alface, tomate e cebola temperada com sal, azeite, mostarda de dijon e pimenta do reino. Mas a estrela é mesmo o ovo. O sabor estava incrível e a gema mole faz um molho natural e delicioso. Rápido e prático!

20130611_152238

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Obs: Não tinha um nome para a receita. Aí o grande amigo Cauê Rademaker a batizou de Popeye à Mineira. Taí. É bom o nome, não?

O ovo da Sudbrack! Suei, mas saiu e foi aprovado em reunião de amigos!

Sempre gostei de receber meus amigos em casa para um vinho e também para que eles pudessem servir como cobaia das minhas receitas. Mas agora tenho recebido convites para cozinhar na casa dos outros. É também um prazer enorme e tem a grande vantagem de não ter de me preocupar com louça (uma das coisas que mais detesto na vida). Sendo assim, panela, faca, alguns temperos, colher de pau e uma garrafinha (eu não cozinho de bico seco!) separadas… Vamos em frente. Além disso, após a inesquecível aula com Roberta Sudbrack, levo meu avental novo e o primeiro chapéu! Inspirado na chef, escolhi justamente o prato que aprendi naquela tarde para abrir os nossos trabalhos. Agora a missão é tentar passar para vocês: torrada com cogumelos e ovo poché.

A montagem é simples: torrada, cogumelos, ovo e, neste caso, o salame.. Receita simples, eficaz e muito gourmet...

A montagem é simples: torrada, cogumelos, ovo e, neste caso, o salame.. Receita simples, eficaz e muito gourmet…

Na cozinha é fundamental ter confiança e acreditar no que você pode fazer. Com isso na cabeça, comprei apenas seis ovos caipiras – éramos seis para o jantar. Ou seja? A conta exata. Não tinha espaço para falhas. Mas elas acabaram acontecendo. Se até Ivonete, a nossa fiel escudeira na casa da Roberta, errou, como eu vou passar impune? O fato me deixou tão irritado que nem a cerveja e a trilha sonora do anfitrião conseguiam me acalmar. Tivemos então de arrumar mais alguns para completar. E o importante é que no fim tudo deu certo. Então vamos em frente!

Duas questões são fundamentais nesse preparo. A primeira é a qualidade do ovo. Esqueça aquele branco do mercado e invista em um caipira. Ele será a estrela do prato. A segunda é a temperatura da água. Em uma panela grande, esquente uma boa quantidade de água com um pingo de vinagre. Não é para deixar ferver e sim esquentar até o ponto em que você consiga manter seu dedo dentro por uns 20 segundos. Neste momento coloque os ovos, previamente quebrados em um potinho para ver se não está estragado, um a um e dê uma mexida de leve na água apenas para eles não grudarem no fundo da panela (assumo: foi assim que perdi três ovos). Agora, amigos, é paciência. A temperatura deve ser mantida baixa. Esfriou? Liga o fogo. Esquentou? Desliga e joga um pouco de água em temperatura ambiente para amenizar. E sempre mexendo de leve. Depois de uns 15 minutos mais ou menos você vai ter essa beleza aí de baixo.

Sim.. Não ficou tão belo quanto o da Sudbrack, mas para a primeira vez deu orgulho!

Sim.. Não ficou tão belo quanto o da Sudbrack, mas para a primeira vez deu orgulho!

Vamos para as torradas. Simples. Pão de forma – no dia da aula ela cortou em formato redondo com um aro e eu acabei não fazendo isso -, manteiga e frigideira para tostar. Depois de pronta mantenha aquecida no forno até o momento de colocar no prato!

É legal grelhar o pão na frigideira ao invés de usar torradeira... A manteiga fica mais entranhada...

É legal grelhar o pão na frigideira ao invés de usar torradeira… A manteiga fica mais entranhada…

Agora os cogumelos (olha eles aí de novo!). O ideal é fazer um mix com shitake, shimeji, paris, cardoncelo… Mas como foi tudo resolvido em cima da hora, tive de ficar apenas no shitake, o único que tinha no mercado. Fatiar bem fino mesmo para ficar delicado no prato. O objetivo aqui é valorizar o sabor dele, mas não a ponto de ele “brigar” com o ovo. Panela bem quente mesmo, azeite, manteiga e os cogumelos (lembrando sempre que não se deve colocar grandes quantidades na frigideira). Sal, pimenta do reino e deixe refogar. Com ele já douradinho, junte um caldo de carne bem reduzido (farei a receita em post futuro do demi glace) apenas para soltar o fundo da panela e deixar mais cremoso. E é isso. Mais simples impossível!

Shitake já sem o talo e fatiado fino.. Importante o corte para não brigar com a delicadeza do ovo..

Shitake já sem o talo e fatiado fino.. Importante o corte para não brigar com a delicadeza do ovo..

Hora da montagem. Pegue a torrada quente e crocante, posicione os cogumelos fazendo um vulcãozinho para evitar que a ovo escorregue no prato. Entre com o ovo ali e  por cima disso, a fatia de lardo. Mas, como já havia dito, esta é uma iguaria italiana que eu nem pesquisei ainda onde comprar. Roberta disse que poderia ser substituída por parma ou jamón. Inacreditavelmente o mercado não tinha nenhum dos dois. Então neste dia o salgadinho foi dado com um salame hamburguês cortado fininho. E a finalização veio com sal rosa do Himalaia moído na hora.

Momentos antes de servir, é importante aquecer água e colocar nos ovos que estão repousando.. Assim voltam a ficar quentes para a finalização.. E com o kit Sudbrack!

Momentos antes de servir, é importante aquecer água e colocar nos ovos que estão repousando.. Assim voltam a ficar quentes para a finalização.. E com o kit Sudbrack!

A entrada foi acompanhada de espumante geladinho. Combinou muito bem, mas cabe fácil também com tinto, que veio logo depois. O prato principal conto depois qual foi. Enquanto o dia não chega, vai lá para cozinha e tenta! Qualquer dúvida pode tirar por aqui ou pelo Twitter! Até mais!

O prato por outro ânuglo.. Sente a gema momentos antes de estourar!

O prato por outro ânuglo.. Sente a gema momentos antes de estourar!

OBS: Agora o Gastronomia por Esporte também está no Instagram sempre buscando colocar fotos bacanas.. Confere lá! @GastroEsporte (igual ao perfil do Twitter!!!)

O ovo mexido perfeito.. Uma adaptação de Gordon Ramsay!

Ovos… Está aí algo que sou completamente viciado. Tem coisa melhor do que começar o dia com um belo ovo? Frito, pochê, quente ou mexido. De qualquer jeito ele me arrebata. Quando vou a algum restaurante e vejo pratos com ovos no cardápio fatalmente acabo pedindo para experimentar. No Venga! existem duas receitas maravilhosas que colocam o ovo como a estrela principal. Uma receita que é fácil encontrar com suas variantes é a cocotte clássica com aquele purê de batatas levinho, aspargos, um ovo com a gema mole, pimenta do reino e um toque de azeite trufado. Isso é uma maravilha e prometo um dia tentar fazer em casa e dividir com vocês.

Detalhe bem de perto do nosso ovo acompanhado agora de uma torradinha... Uma dupla perfeita!

Detalhe bem de perto do nosso ovo acompanhado agora de uma torradinha… Uma dupla perfeita!

Enquanto esse dia não chega, vou compartilhar aqui uma maneira de você transformar um simples ovo mexido em algo inesquecível. Meu sonho era poder dizer para vocês que isso foi criação minha. Mas não é o caso. A gastronomia por enquanto é por esporte. Se um dia virar profissão posso ter ideias como essa. O criador dessa maravilha é Gordon Ramsay, o chef celebridade inglês que estrela diversos programas de televisão dos quais sou fã incondicional.

É bom deixar tudo separado antes de começar.. Ovos orgânicos, grana padano, ciboulete, manteiga e paciência!

É bom deixar tudo separado antes de começar.. Ovos orgânicos, grana padano, ciboulete, manteiga e paciência!

Vi esta receita em um deles e resolvi copiar. Para quem não viu, vale a tentativa. O primeiro passo é comprar ovos orgânicos. A diferença é absurda e eu recomendo muito. Pegue a frigideira em temperatura ambiente, coloque dois ovos, uma boa colher de manteiga e coloque em fogo muito baixo. Vá mexendo sem parar. É importante não temperar com nada! Quando começar a cozinhar, tire do fogo para a temperatura não ficar muito alta e sempre mexendo sem parar. Em seguida volte novamente ao fogo e por aí vai.

Antes mesmo de ligar o fogo, os ovos inteiros com a manteoga gelada e sem qualquer tipo de tempero

Antes mesmo de ligar o fogo, os ovos inteiros com a manteiga gelada e sem qualquer tipo de tempero

A ideia é tratar os ovos como um risoto: sempre mexendo e com temperatura controlada. Isso o deixa incrivelmente macio e cremoso. Lembrando que o tempero, sal e pimenta do reino, só é colocado depois de pronto. O Gordon sugere umas colheradas de creme de leite fresco. Eu dispenso. Nem leite, algo comum em ovos mexidos, costumo colocar. Se você fizer com paciência, o próprio ovo gera a cremosidade. Na primeira foto você vê o ponto que eu curto: não tão cozido, mas longe de estar cru.

Começou.. Depois de começar a mexer não se pode mais parar... Literalmente tratando o ovo como risoto!

Começou.. Depois de começar a mexer não se pode mais parar… Literalmente tratando o ovo como risoto!

Comer assim já está maravilhoso. Mas por que não dar aquele upgrade e transformá-lo em algo verdadeiramente gourmet? Eu sugiro ciboulete cortada fina (coloco porque tenho na minha horta, mas pode ser cebolinha normal), um toque de flor de sal, pimenta e lascas de grana padano. Aí, amigos, é comer e chorar! Tenha a certeza de que sua manhã será em outro nível e alegre a ponto de você encarar seu dia com um belo sorriso! Um abraço e obrigado pelos comentários! Sempre vale dizer, qualquer dúvida joga no email gastronomiaporesporte@gmail.com. Até!

Raspas do grana por cima, flor de sal, pimenta do reino e a nossa ciboulete... Seu café mais do que gourmet está pronto!

Outra visão do nosso ovo gourmet.. Raspas do grana por cima, flor de sal, pimenta do reino e a nossa ciboulete… Seu café mais do que gourmet está pronto!