Arquivo da tag: Entradas

Arancini: um petisco perfeito para utilizar as sobras do risotto do dia anterior!

Na semana passada coloquei por aqui a receita do croquete de linguiça toscana. Uma maravilha, mas na verdade aquilo é impossível não ficar gostoso. Afinal de contas envolve linguiça, mostarda e fritura! Sei que a vibe de hoje em dia é aquela vida saudável de saladas, alimentos sem glúten, sem lactose… Mas não adianta. Quando chega aquele petisco crocante e saboroso tudo isso vai embora. Então vamos a mais um bolinho que pelos ingredientes você vai ver que é impossível não ficar espetacular. Estamos falando do Arancini, ou bolinho de risotto.

1011017_660989167296709_55726048_n

Comum na região da Sicília, onde foi criado no século X, é uma maneira perfeita para aproveitar as sobras do risotto que você comeu no jantar na noite anterior. Não lembra como faz o risotto? Clique aqui e aqui para relembrar duas opções que podem ficar perfeitas no seu Arancini. Feito isso, os demais ingredientes são: mussarela e tomilho para o recheio, e os itens para empanar: farinha de trigo, ovo e farinha de rosca.

20140208_142744 20140208_161159

O risotto que sobrou aqui em casa foi de açafrão. Com ele gelado, fundamental para facilitar a modelagem do bolinho, coloque na sua mão, preencha com um pouco da mistura de queijo e tomilho, pegue mais um pouco do arroz e forme o seu petisco. Feito isso, faça o empanado passando primeiro na farinha de trigo, depois no ovo e por último na farinha de rosca. Em seguida é só fritar em óleo bem quente.

20140208_161243

20140208_161435 20140208_163357 20140208_165836

Fácil, rápido e perfeito para abrir os trabalhos no seu fim de semana seja com uma cerveja bem gelada ou com uma boa taça de vinho. A cremosidade e o sabor do risoto se tornam crocantes. E o queijo derretido no meio é simplesmente fantástico.

20140208_170507

Não tem porque não fazer! Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Croquete de Linguiça do Barteco em casa. Petisco delicioso, fácil de fazer e perfeito com uma cerveja gelada!

Tem hora que ler a Revista Gula me deixa mal. Calma, eu explico. Sou fã da publicação, mas por ser sediada em São Paulo, muitas das matérias se baseiam em personagens da cena gastronômica do nosso Estado vizinho. Mas de vez em quando me inspiro em uma das receitas e tento ao menos amenizar a vontade. Foi o caso do croquete de linguiça do Chef Daniel Brum, do tão falado e recém-inaugurado Barteco. No segundo seguinte ao ponto final já me movimentei para reproduzir o petisco. E digo mais: ficou espetacular!

20140213_142844

Os ingredientes são poucos e o preparo relativamente simples. Então vamos lá e aqui reproduzo fielmente a receita como foi apresentada na revista. A única diferença é que não fiz o molho sugerido.

Massa:
1kg de linguiça toscana
50g de mostarda l’ancienne (aquela com as sementes)
1 cebola picada
50g de manteiga
100g de farinha de trigo

Para empanar
50g de farinha de trigo
1 ovo batido
50g de farinha de rosca

Antes de ir para o fogão, retire toda a carne da linguiça da tripa e dê uma picada. Na panela coloque a manteiga para derreter e refogue a cebola. Após murchar, aumente o fogo e entre com a linguiça fora da tripa.

20140213_124045 20140213_124343

Enquanto a carne vai pegando cor e a gordura derretendo, vá soltando os pedaços com a sua colher de pau. O objetivo é deixar a massa mais uniforme. Quando secar, coloque a mostarda. Misture bem e entre com a farinha. Cozinhe por mais 10 minutos para tirar aquele gosto de farinha crua e está pronto.

20140213_125748 20140213_125925

Neste momento fiquei inseguro. A massa me parecia com pouca liga. Mas o objetivo é esse: deixar os ingredientes falarem por si só sem mascará-los com mais farinha ou até mesmo um ovo.

Com os componentes do empanado em potes separados, vá modelando os seus croquetes. Primeiro entre na farinha de trigo, em seguida no ovo e por último na farinha de rosca. Aí é só fritar em imersão com óleo bem quente.

20140213_141840

O croquete de fato é extremamente gostoso. Com uma cerveja do lado, animou e muito a tarde de domingo. Saudável? Não é não. Mas de vez em quando vale enfiar o pé na jaca! E agora o próximo passo é comer direto na fonte. Mas isso só nas próximas investidas por terras paulistanas…

20140213_142853

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Alho confit: receita maravilhosa e muito versátil. Docinho, vai da entrada ao acompanhamento!

Eu sou um viciado em alho. Frito, cru, em conserva, assado… De qualquer jeito dá um levante em qualquer prato e é fundamental no preparo de outros tantos. Mas na receita de hoje, o alho é o protagonista. E não com seu sabor marcante e tradicional, mas docinho, macio e perfeito seja para ser sevido como uma entrada, acompanhando uma salada, um bife ou saborizando um risotto. Estamos falando do Alho Confit.

20140112_194640

Para os que nunca ouviram falar, confit é o nome de uma técnica em que você cozinha qualquer coisa em gordura e em temperatura baixa. Aqui, vamos cozinhar o alho em azeite com algumas ervas para potencializar ainda mais o sabor. É extremamente simples, mas demanda certa atenção. Você vai precisar de:

Os dentes grandes de 3 cabeças de alho
250ml de azeite
Ramos de alecrim
Ramos de tomilho
Uma pitada de sal
Grãos de pimenta rosa (opcional. Neste dia não tinha e não utilizei)

20140112_184247

Após descascar os dentes de alho, coloque os em uma panela junto com as ervas inteiras mesmo. Elas estão ali para dar o sabor e após o preparo serão descartadas. Feito isso, cubra tudo com o azeite.

20140112_184539

Agora começa o período de atenção. A ideia é colocar a panela no fogo mais baixo possível. E ficar de olho. O processo todo dura entre 20 e 30 minutos até os dentes de alho ficarem macios e docinhos.

Mas durante este tempo é preciso ter atenção. Mesmo em fogo baixo, o azeite em algum momento vai querer começar a ferver. E aí você não estará mais cozinhando e sim fritando e isso nós não queremos nesta receita. Começou a formar bolinhas na panela? Tire do fogo e deixe a temperatura diminuir naturalmente antes de voltar. O aroma que sobe é incrivelmente delicioso.

20140112_184638 20140112_184944

Com o alho pronto, coloque em um pote de vidro e pronto. Como é feito e estará guardado em gordura, o alho dura bastante tempo antes de estragar. Acabaram os dentes? Use este saboroso azeite para temperar sua salada. É incrível.

20140112_194706

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Vichyssoise: quente ou frio, esse creme de alho-poró com batata é espetacular! Perfeito para o frio!

Luninha arrancou o ciso na semana passada (aliás, por que alguém faz isso?!). Com a boca inchada, sua dieta tinha de ser baseada em qualquer coisa fria ou gelada. Sorvete é ótimo, mas vai comer por três dias seguidos. Então lá fui eu para a cozinha fazer uma sopinha gelada. A primeira que me veio na cabeça foi Gazpacho, mas ela não é fã de pimentão e pepino. Então parti para uma Vichyssoise, que nada mais é do que um creme delicioso a base de batata e alho-poró. Vale ressaltar que apesar da tradição mandar servir fria, ela pode perfeitamente ser consumida bem quentinha com uma taça de vinho para amenizar o friozinho dos últimos dias.

20130823_214819

Como nunca havia feito, fui procurar uma receita para ter como base e achei a da Nina, na Avenida Brasil. Obviamente fiz uma mudança aqui e outra ali. Então vamos aos ingredientes: 2 talos de alho-poró cortados em rodela, 1 cebola, 2 batatas grandes em cubos, 2 colheres de sopa de manteiga, 1 litro de caldo de frango, 150ml de creme de leite fresco, sal, pimenta do reino, noz moscada (uma pitada) e ciboulete picadinha para decorar.

20130823_155516

Em uma panela em fogo médio, refogue na manteiga com um pingo de azeite a cebola e o alho poró. Tempere com sal e pimenta e tenha paciência. Você quer deixá-los transparentes e murchinhos e não dourados. No fim da receita o objetivo é ter um creme quase branco. Depois de mais ou menos 15 minutos fica pronto.

20130823_161520 20130823_162131

Entre com as batatas e o caldo de frango. Aumente o fogo e espere ferver. Em seguida, abaixe e espere as batatas ficarem cozidas. O tempo varia em função do fogão.

20130823_162358

Feito isso, bata tudo no liquidificador até o creme ficar bem liso. Volte ao fogo baixo, junte o creme de leite FRESCO, a noz moscada e mexa até incorporar.

20130823_214004 20130823_214309

Está pronto. Sirva em um bowl ou no prato com mais uma colher do creme de leite e a cebolinha picada por cima. Espetacular. Quente ou fria, vale muito a pena fazer essa sopinha. Luna aprovou gelada e a Dona Cavalierona aprovou quente. Ou seja, acho mesmo que deu certo!

20130823_214837

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Ps: Para quem não viu ainda, meus pitacos no PImenta e Limão, da comadre Nanda. Clique aqui e veja “Um livro, um filme e uma música” por mim!

Bolinho de Arroz: petisco perfeito para fazer com as sobras e acompanhar uma cerveja gelada!

No último fim de semana, o batizado da minha sobrinha, a pequena Clara, foi celebrado com uma feijoada. Ao perceber as sobras na geladeira, vi uma grande panela com arroz branco já cozido. Na hora veio na cabeça a ideia de como aproveitar sem deixar tudo aquilo estragar: Bolinho de Arroz. Na boa, quem não curte esse petisco maravilhoso de preferência acompanhando uma gelada? Então anota aí que a receita é molezinha!

20130723_113009

Você vai precisar de: duas xícaras de arroz branco já cozido, uma cebola picada e refogada (para dar um gostinho adocicado), meia xícara de salsa picada, dois ovos, uma xícara de farinha de trigo, seis colheres de sopa de parmesão ralado e 180 gramas de calabresa picada (este é opcional.. se você é vegetariano pode cortar) além de óleo para fritar. 

20130723_110724

Com tudo separado não tem muito mistério. Em uma vasilha grande basta misturar bem. Comecei com o arroz, a farinha e os ovos. Depois de integrar tudo entrei com os demais ingredientes. Tempere com sal e pimenta do reino e termine de misturar.

20130723_110916 20130723_111236 20130723_111705

Feito isso dê o formato que você quiser enquanto o óleo esquenta. Pode ser redondo cônico… Eu fiz em formato de quenelle moldando com duas colheres. Depois é só fritar até ficar dourado. Perfeito com a cervejinha! Prático não? Até a próxima!

20130723_111925 20130723_112955

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Um fogão a lenha, a vista de Angra e um petisco simples e clássico: Calabresa Acebolada na Cachaça!

O último fim de semana foi especial. Amigos reunidos em uma ilha em Angra dos Reis na casa do querido Serjão, dono do Galeto Sat’s – já citado rapidamente aqui, mas que em breve vai ganhar o post próprio. A vista era poética, a cerveja estava sempre gelada e as cachaças especiais faziam bem a composição. Mas a rústica casa ainda proporcionou grandes momentos. Afinal de contas, não é sempre que você tem a oportunidade de cozinhar em uma chapa de ferro apoiada em um fogão a lenha. Então, bota madeira pra dentro e vamos fazer um petisco simples e clássico para acompanhar a bebedeira: Calabresa Acebolada flambada na Cachaça!

20130706_204012_LLS

É claro que você pode fazer isso na sua casa. Basta colocar a cerveja no gelo antes e pegar os seguintes ingredientes: duas calabresas sem a pele cortada em rodelas, três cebolas cortadas em meia lua, uma pimenta dedo de moça picada e uma boa dose de cachaça para flambar. Depois de pronto, pode jogar um punhado de salsa picada.

20130706_200135_LLS

Na panela, ou se você for privilegiado como eu fui, entre primeiro com a calabresa. Não há necessidade de colocar nenhum tipo de gordura, já que a linguiça solta naturalmente. Depois que começarem a refogar, coloque a cebola e a dedo de moça. E vá refogando até elas murcharem.

20130706_202441 20130706_202620 20130706_203438

Depois de alguns minutos, é a hora de flambar com a cachaça. Usei uma Ambar envelhecida muito gostosa. Você pode utilizar a que achar melhor, mas as amarelas dão um gosto especial em função da madeira utilizada no processo de envelhecimento. Assim que o álcool evaporar é só servir.

20130706_203737 20130706_204027_LLS

Agora falem a verdade: era ou não um privilégio comer com a vista que encerra este post? Obrigado, Serjão! Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

20130706_130504

Ovo poché com gema mole, aspargos, parma… Combinação perfeita em entrada deliciosa! Aprenda!

Ovo poché, aspargos frescos grelhados, parma fininho e com gordura na medida… Coroando a combinação clássica e perfeita, um fiozinho de azeite trufado. Curtiu? Então vamos para mais uma receita que pode ser feita já nesse fim de semana para receber os amigos e aproveitar o friozinho que tem feito nas noites para bebericar um bom tinto.

20130628_232151

As quantidades aqui são relativas. Depende de quantas pessoas você vai receber. Eu calculo dois aspargos, um ovo CAIPIRA e duas fatias de parma por pessoa. Éramos seis então foram 12 aspargos, seis ovos e mais ou menos 100 gramas de parma fininho.

20130628_210713

Vamos então à única etapa complicada no processo todo. Mas pensem no resultado final. Vale a pena. Poucas coisas são mais poéticas do que uma gema caipira escorrendo e tomando conta do prato unindo todos os ingredientes (reparou ali em cima?). Já havia explicado como fazer neste post aqui, mas vou resumir novamente. A técnica eu aprendi na aula que fiz na cozinha da Chef Roberta Sudbrack. É fundamental ter controle e paciência. Esquente uma panela com água e algumas gotas de vinagre. A água não precisa ferver. Coloque o dedo. Se você conseguir ficar com ele dentro mais ou menos 10 segundos este é o ponto.

Mexa a água e despeje os ovos previamente quebrados. Coloque uns três por vez no máximo. E tenha paciência. O processo dura entre 10 e 15 minutos. Esfriou a água? Ligue um pouco a chama do fogão. Esquentou, desliga. Aos poucos vá mexendo, sempre de maneira delicada a água, para que a clara envolva a gema. Isso pode não acontecer. Neste caso, separe e coma o ovo só com flor de sal mesmo. E coloque outro, afinal de contas você quer servir os mais bonitos para os amigos. Ficou pronto, deixe eles repousando em uma travessa com água aquecida.

20130628_212305 20130628_215125

Os aspargos são extremamente simples de fazer. Basta cortar a base maior, que é bem fibrosa e grelhar direto em uma panela aquecida com azeite. Tempere com sal e pimenta.

20130628_220557

Levei à mesa a travessa grande como pode ser vista aqui. Mas se você preferir resolver já empratado, sugiro a quantidade citada lá em cima. O azeite trufado você coloca na mesa. Um fiozinho só para não tomar conta dos demais sabores. Imperdível!

20130628_231423 20130628_232140

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!