Arquivo da tag: claude troisgros

De Claude Troisgros para Luiza e Leandro: palestra com o francês e a inigualável coxinha de terça do Da Gema!

A noite de terça-feira começou com alta gastronomia nas palavras. Em palestra promovida pela Aliança Francesa da Tijuca e aberta ao público, Claude Troisgros falou sobre a história de sua família que foi uma das precursoras da Nouvelle Cuisine. De lá, chegou até o dia em que desembarcou no Rio de Janeiro onde fincou raiz e construiu um legado sólido que faz jus ao sobrenome que carrega. Distribuiu a simpatia que lhe é peculiar, mostrou que o francês está enferrujado arrancando risadas e aplausos em mais de uma hora de conversa.

20140325_190637

Mas o papo naturalmente deixou todos os presentes com fome. Afinal de contas, era foie gras pra cá, tacacá pra lá, mostrando como as gastronomias francesa e brasileira estão presentes no coração de Claude. E em uma terça-feira na Tijuca o destino só pode ser um: Da Gema. Afinal de contas, é apenas neste dia que você consegue comer a melhor coxinha de galinha do mundo (R$ 4,50)!

Por que eu digo isso? Sempre gostei de coxinha. E sou daqueles que vira o salgado de cabeça pra baixo e começa a comer, sem qualquer trocadilho, pela bunda onde o recheio se concentra. Quando chego no biquinho onde a massa se concentra, costumo jogar fora. Luiza e Leandro, que criaram essa maravilha e as demais que são servidas pro lá, desenvolveram uma massa que é tão gostosa quanto o farto e bem temperado recheio. Leve e saborosa, a massa é a estrela para mim. E só nas terças-feiras!

20140325_221027

Mas nem só de Coxinha vive o Da Gema (quarta também é dia temático e eu já falei por aqui). Figura carimbada no Comida di Buteco, concurso que, por sinal, começa mês que vem, o bar tem criações criativas e deliciosas. O Pastel de Feijão Gordo (R$ 4,50), por exemplo, é um absurdo. O recheio é uma verdadeira feijoada rica, farta e repleta de carnes saborosas. Demais mesmo.

20140325_213738

Do pastel para o Atoleiro Carioca (R$ 25), para mim, apesar de não vencedor, o melhor petisco do Da Gema para o concurso. Nacos e peito bovino e linguiça de porco com aipim que chega macio em seu molho de cozimento. Clássica comida caseira. Por cima um surpreendente e delicioso pesto de agrião. O pão que rodeia o prato é perfeito para sugar o molho que fica na panelinha.

20140215_144828

Outro clássico é a Rabadinha com Polenta (R$ 25). Nacos crocantes de polenta frita coroadas como reis por rabada saborosa e bem temperada. Precisa mesmo dizer como isso é gostoso?

20140215_153707

Teve tempo ainda para o Pela Égua (R$ 13). Canjiquinha com queijo coberta por couve e pelo molho de linguiça da casa que entra em outros petiscos como o Tricolor, outra belíssima pedida por lá.

20140215_145433

A única derrapada do Da Gema costuma ser a demora nos pedidos. A cozinha é pequena e faz tudo na hora, o que em certos momentos gera essa espera. É, claro, algo que não é o ideal. Mas vale a paciência. Quando chega você costuma esquecer. E aproveita. Feita por Claude ou pela Luiza, o que vale é a boa comida!

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Da Gema
– Rua Barão de Mesquita, 615 – lojas C e D, Tijuca, Rio de Janeiro – RJ -(21) 2208-9414
Terça e quarta, das 17h à meia-noite; Quinta, das 17h à 1h; Sex, das 15h às 1h; Sábado, do meio-dia às 2h; Domingo, do meio-dia às 22h

Risotto de Brie com Parma: a estreia do clássico foi um golaço. É só experimentar!

Já disse algumas vezes que sou fã de risotto. Um dos primeiros posts, aliás, foi o de cogumelos frescos que eu tanto gosto (relembre aqui). Este junto com o de tomate cereja, o de alho poró e o milanese são os que mais faço. Para mim, risotto é um prato de preparo relativamente simples, fácil de fazer em grande quantidade e que sempre dá uma presença quando sai bem feito. Dito isso, fui conhecer e estrear a cozinha do novo apartamento do meu primo. Ele queria um risotto e ofereci os sabores já citados. Mas ele não se empolgou e lançou o desafio pedindo um de Brie com Parma.

20131228_224419

 

Nunca havia feito, mas não costumo fugir dos desafios. Ao fazer descobri que não é nem de longe um bicho de sete cabeças. E contrariando o clima “Detox” da semana passada, aqui não tem espaço para os fãs de comidas lights e leves. Vamos aos ingredientes – as medidas alimentaram com MUITA sobra quatro pessoas.

500g de arroz arbório ou carnarolle
1 cebola média picada
1 taça de vinho branco
1 litro de caldo de frango ou legumes
200g de queijo brie em cubos
200g de presunto de parma
Duas colheres de sopa de manteiga
100 gramas de parmesão ralado
Sal e pimenta do reino

20131228_221407

Em uma panela, coloque o caldo para aquecer. Em outra, esquente um fio de azeite e um pouco da manteiga em fogo médio. Entre com a cebola para refogar, mas sempre de olho para não dourar. O objetivo aqui é cozinhá-la e não fritá-la.

Após ficar transparente, entre com o arroz (lembrando que não é para lavá-lo em hipótese alguma). Refogue um pouco também para deixá-lo como a cebola, mais translúcido. Neste ponto é a hora de entrar com o vinho.

Assim que o álcool evaporar, é a hora de começar a colocar o caldo aos poucos. E é a hora da paciência também. Coloque sempre de duas em duas conchas mexendo sem parar. O objetivo é ajudar a soltar o amido dos grãos que dá a cremosidade ao prato. Secou? Coloque mais duas conchas até o arroz cozinhar. Esse processo demora de 15 a 20 minutos. Passados 15, prove e veja a textura. Tem gente que prefere o grão mais ‘al dente’ – o meu caso.

20131228_223258

Quando chegar ao ponto desejado é a hora de finalizar – lembre que esta é a hora em que você vai dar sabor ao seu risotto. Neste caso é de Brie e parma. Entre então com o queijo em cubos, o parma, o parmesão e a manteiga. Mexa bem para incorporar tudo, apague o fogo e tampe a panela por alguns minutos para que seu arroz descanse. Depois é só servir!

20131228_223502

Como visto nas fotos, coloquei além do parma na panela uma porção dele crocante por cima para dar mais sabor e textura. Não sabe como fazer? Clique aqui e relembre. Ou então faça no microondas. Basta colocar por 1 minuto e meio em potência alta e esperar esfriar. Ele ficará crocante. Bom apetite!

20131228_224409

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Menos é mais. Um belo cordeiro, ingredientes simples e um sabor maravilhoso. Aprenda!

Uma das máximas da boa cozinha é: menos é mais. Principalmente quando você tem em mãos um produto de muita qualidade. Para que encher de temperos, molhos e técnicas que podem acabar mascarando o sabor que você mais quer sentir? É o caso das costelinhas de cordeiro da Quirós Gourmet – ou french racks, se você quiser fazer um estilo. O amigo Felipe mandou o recado e a missão de que eu seria o responsável por comandar a churrasqueira no seu aniversário. Como disse, a matéria prima era espetacular: filé mignon, linguiça, picanha e o french rack.

20131123_193721

Vamos então ao que foi a grande estrela da noite. Carvão aceso, brasa bem quente e alguns temperinhos leves. Como disse, a estrela é o cordeiro. Para uma peça com sete costelinhas você vai precisar de quatro dentes de alho, ramos de tomilho e de alecrim, flor de sal, pimenta do reino e um fio de azeite. Mais absolutamente nada. E a dica veio do Chef Claude Troisgros no Que Marravilha!.

A peça vem inteira, mas basta você cortá-las no sentido do osso formando os pedaços individuais. O alho apenas esprema para que ele libere os sabores. Coloque os demais ingredientes em uma vasilha e deixe a carne repousando lá por mais ou menos 20 minutos.

1477855_10152063906817667_643087289_n

20131123_162537

Acabou. Entre com ela na grelha da sua churrasqueira bem quente por mais ou menos cinco a dez minutos de cada lado e pronto. A ideia é selar a camada exterior deixando a gordura caramelizada e o interior ligeiramente rosado. Uma maravilha. Caso queira fazer em casa, use a frigideira bem aquecida. Claro que o carvão entra como tempero, mas o sabor também ficará especial.

20131123_192913

Na taça um bom tinto ou uma cerveja de personalidade. As IPAs ou Ales casam bem aqui na minha opinião. De resto, conversa, risadas e histórias como uma boa reunião de amigos deve ser. E que venha a próxima remessa, Felipe!  Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)!

20131123_125502

Após quase três anos, a estreia no CT Boucherie foi espetacular. Bela noite na casa de carnes do Troisgros!

Pode parecer inacreditável, mas até a última semana nunca tinha sentado no CT Boucherie, empreitada de carnes do Chef Claude Troisgros, praticamente íntimo da família depois do Que Marravilha Revanche (relembre aqui e aqui os bastidores). Mas minha estreia foi justamente em uma ocasião especial: meu aniversário. Ao lado da família, tive uma excelente noite e saí com a certeza que não vou demorar tanto para voltar.

Como já se vão quase três anos desde que a casa foi inaugurada, não vou me alongar no que diz respeito à bela decoração da casa que remete diretamente a qualquer lugarzinho da França. Vamos ao que realmente interessa: a comida! Pulamos as entradas e o couvert (que vão me fazer voltar para ficar apenas neles). Todos estávamos sedentos pelos cortes variados e pelos acompanhamentos que circulam em sistema de rodízio instigando a curiosidade de quem espera pelo prato. Cada corte de dá direito a isso, além de batatas chips com ervas, farofinha de panko e um molho a sua escolha.

20130711_213738 20130711_211800 20130711_211755

A minha pedida estava simplesmente espetacular. Um Prime Rib suculento, macio e extremamente saboroso (R$ 89). Pedi ao ponto para mal passado, como manda o figurino, e os sucos se esparramavam pelo prato. Uma beleza! Meu molho foi um bom e clássico Bernaise.

20130711_215717_LLS

Dona Cavalierona levou o segundo lugar com o Bife de Chorizo também grelhado de maneira perfeita e com uma camada de gordura que fez toda a diferença (R$ 69). O que destoou para mim foi o seu molho Poivre, que achei forte em demasia.

20130711_215736_LLS

Luna resolveu dar uma nova chance ao filé mignon em crosta de ervas, mesma receita que Claude fez para nós no programa (R$ 69). Desta vez a carne veio no ponto que ela curte e a crosta, como falamos no programa, é de fato espetacular. O Bordelaise estava extremamente saboroso e foi o melhor molho da noite.

20130711_215825_LLS

Márcia foi de codorna recheada com farofa de biscoito e frutas (R$ 66). Gostoso, mas não inesquecível. Talvez o ponto fora da curva da noite. O recheio estava saboroso e úmido, o que acabou sendo bom pois achei a ave um pouco seca.

20130711_215726_LLS

Já o Doutor Cavalierão encarou uma picanha suína com molho de limão siciliano (R$ 56). Macia, suculenta e saborosa. Uma pedida diferente, mas que chamou atenção na mesa.

20130711_215832_LLS

Sobre os acompanhamentos alguns estavam fantásticos como o chuchu gratinado (há de se valorizar quem faz chuchu ficar gostoso), a polenta cremosa com agrião, um purê de maça com maracujá, e os tomates à provençal. Outros destoaram um pouco como o purê de baroa, o arroz maluco e o ratatouille. Mas há de ressaltar que são servidos de maneira farta e chegam na mesa sempre quentes e frescos.

No fim ainda sobrou espaço para uma bela mousse de chocolate acompanhada de creme inglês e amêndoas laminadas e açucaradas, uma cortesia simpática da casa pelo meu aniversário. Como disse no início, foi uma bela noite que deixou a seguinte pergunta na minha cabeça: por que levei tanto tempo para ir ao Boucherie. Indiretamente, Chef Claude, obrigado pela experiência!

20130711_230102

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

CT Boucherie
Rua Dias Ferreira, 636, Leblon – Rio de Janeiro (RJ)
(21) 2529-2329

Fim das férias! E um pedaço de Paris na sua casa. Aprenda a tradicional Sopa de Cebola: simples e fácil de fazer!

Como os amigos e amigas que acompanham o blog perceberam, passei minhas férias viajando pela Europa. Ao mesmo tempo que pude conhecer grandes restaurantes, novos ingredientes e obviamente me divertir demais, também tive a oportunidade de cozinhar um pouquinho. Especialmente em Paris, cidade em que passei mais tempo em um apartamento alugado. E por lá, em uma noite fria após andar bastante pelas encantadoras avenidas parisienses, resolvi de improviso fazer uma das mais famosas receitas francesas: a Soup a L’Oignon ou no bom português sopa de cebola.

Um bom tinto acompanhou a sopa perfeitamente no frio de Paris.. Aproveitem!

Um bom tinto acompanhou a sopa perfeitamente no frio de Paris.. Aproveitem!

Por que de improviso? Porque faltou aqui e ali um ou outro ingrediente na receita tradicional que você pode colocar quando fizer em casa. Ou então siga o meu jeito que com certeza absoluta vai ficar deliciosa. Vamos então aos ingredientes para duas pessoas com bastante fome.

700 gramas de cebolas fatiadas
Duas colheres de sopa de manteiga
Um fio de azeite
1 litro de caldo de galinha ou de legumes
Sal
Pimenta do reino
Uma taça de vinho branco
Fatias de pão tostadas
Queijo gruyere ralado (usei um comté espetacular que havia comprado)
Mostarda de Dijon

Tudo separado para a versão rápida da sopa de cebola clássica da França..

Tudo separado para a versão rápida da sopa de cebola clássica da França..

O que não coloquei que deveria ter colocado:
Uma colher de sopa cheia de farinha de trigo após o refogado inicial para engrossar a sopa.
Um bouquet garni (salsa, alecrim, tomilho e cebolinha amarrados em um barbante) durante o cozimento para ser retirado no fim.
Uma pimenta dedo de moça (mania de Troisgros), também no refogado.

Vamos ao modo de preparo. Descasque e fatie em meia lua as cebolas. Enquanto isso, coloque o caldo para aquecer em fogo baixo em outra panela. Aqueça o azeite e a manteiga e entre com apenas metade das cebolas. Se você colocar tudo, a panela irá esfriar rapidamente e as cebolas vão soltar muita água. Tempere com sal e pimenta.

Caldo aquecendo ao fundo e cebola iniciando o refogado na manteiga e azeite com sal e pimenta do reino..

Caldo aquecendo ao fundo e cebola iniciando o refogado na manteiga e azeite com sal e pimenta do reino..

Assim que começar a refogar, entre com o restante da cebola, mais um fio de azeite e um pouco de manteiga. Agora começa a paciência. Abaixe um pouco a chama do fogão e vá mexendo de vez em quando as cebolas. É para escurecer sem queimar, deixando com cor de caramelo. Enquanto vai chegando no ponto, corte o pão em fatias e coloque no forno para torrar. Aproveite também para ralar o queijo.

Com paciência e fogo baixo, a cebola vai caramelizando e ganhando este tom marrom..

Com paciência e fogo baixo, a cebola vai caramelizando e ganhando este tom marrom..

Com a cebola murcha e caramelizada, entre com o vinho branco e mexa para soltar o  fundo. Após alguns minutos você entra com o caldo aquecido, abaixa o fogo e cozinhe de 20 a 30 minutos.

Após o vinho, entre com o caldo, reduza o fogo e deixe cozinhar lentamente..

Após o vinho, entre com o caldo, reduza o fogo e deixe cozinhar lentamente..

Pegue as torradas e passe uma fina camada de mostarda. Após cozinhar, pegue tigelas individuais e coloque a sopa. Ou então, como meu apartamento não tinha, coloque em um grande pote que possa ir ao forno. Posicione as torradas besuntadas com mostarda por cima e cubra tudo com o queijo.

Após torrar os pães, passe uma leve camada de mostarda dijon e coloque-as por cima da sopa..

Após torrar os pães, passe uma leve camada de mostarda dijon e coloque-as por cima da sopa..

Cubra as torradas e a sopa com queijo ralado e leve ao forno alto para gratinar..

Cubra as torradas e a sopa com queijo ralado e leve ao forno alto para gratinar..

 

Após alguns minutos no forno bem quente, sua sopa estará perfeitamente gratinada e pronta para amenizar o frio. Sirva com um bom tinto e pronto! Perfeito para uma noite em Paris e também em qualquer lugar!

Após gratinar, a sopa está pronta para ser servida!

Após gratinar, a sopa está pronta para ser servida!

É isso, pessoal. O Gastronomia por Esporte está de volta! Espero que tenham sentido a minha falta assim como eu senti de escrever por aqui. E novidades estão por vir! Enquanto isso, sigam no Instagram (@GastroEsporte) e curtam a página no Facebook! Até a próxima!

Os Cogumelos Recheados do Que Marravilha! Aprenda a receita que ensinei a Claude Troisgros! E boas férias!

Se alguém não ficou sabendo, participei do Que Marravilha Revanche! com o chef Claude Troisgros. A experiência foi inesquecível e o programa ficou fantástico (os bastidores podem ser relembrados aqui e aqui). Se alguém não viu, as reprises acontecem ainda nesta sexta às 11h30 e 18h, no sábado (dia 20) às 12h e no domingo (dia 21), às 10h30. O prato que “ensinei” ao Claude foi o meu já tradicional cogumelo recheado. Quem já provou sabe como é bom. Até mesmo o renomado chef curtiu! Então agora repasso a receita para vocês e peço: façam em casa. Vale muito a pena.

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

MARRAVILHA de cogumelos recheados! Confira o passo a passo abaixo e aproveite!

Este post não seguirá o padrão do meu blog. Colocarei no início a receita como a enviada para o site do GNT e logo abaixo a sequência de fotos ilustrando o passo a passo do prato com as explicações nas legendas. Espero que entendam tudo direitinho. Qualquer dúvida podem me perguntar lá no Facebook ou no Twitter. Portanto: divirtam-se!

E aproveito para dizer que embarco nesta sexta para a Europa em viagem de férias. O blog irá ficar parado pelos próximos 20 dias, mas voltará já já com muitas novidades! Obrigado pelo carinho de todos e sigam curtindo o GastroEsporte!

Cogumelos a GastroEsporte!
Ingredientes:
800g de cogumelos Paris limpos
3 dentes de alho picados
1 pimenta dedo-de-moça picada
300ml de creme de leite fresco
Salsa picada (a gosto)
Tomilho picado (a gosto)
Cebolinha francesa picada (a gosto)
Sal (a gosto)
Pimenta-do-reino (a gosto)
Azeite
1 colher (sopa) de manteiga
100g de queijo parmesão ralado
Ingrediente curinga: 1 dose de cachaça

Modo de preparo:
– Limpe os cogumelos com pano úmido. Retire os talos e reserve. Com um boleador, ou mesmo uma colher, retire um pouco do interior do cogumelo para abrir espaço para o recheio.
– Em uma frigideira bem quente, coloque azeite e frite rapidamente os cogumelos. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Em seguida, coloque em uma travessa e reserve.
– Para fazer o recheio, pique bem os talos, o alho, a pimenta dedo-de-moça, a salsa, a cebolinha francesa e o tomilho. Esquente bem a mesma frigideira em que fritou os cogumelos e coloque azeite. Acrescentes os talos. Assim que começar a refogar, coloque o alho, a pimenta dedo-de-moça e a colher de manteiga. Tempere com sal e pimenta-do-reino. – Inclua a dose de cachaça e flambe com cuidado. Após o álcool evaporar, coloque o creme de leite e as ervas.
– Coloque o recheio no interior dos cogumelos grelhados, polvilhe o parmesão por cima e leve ao forno preaquecido, a 200ºC, para gratinar.

Após limpar os cogumelos com o pano úmido, tire os talos e reserve.. Com um boleador ou uma colher de café, raspe o interior dos cogumelos e descarte..

Após limpar os cogumelos com o pano úmido, tire os talos e reserve.. Com um boleador ou uma colher de café, raspe o interior dos cogumelos e descarte..

Ingredientes básicos do recheio.. Alho bem e dedo de moça bem picados ao lado dos talos dos cogumelos também miúdos.. Sal, pimenta do reino e a cachaça para flambar.. Faltou na foto a salsa, o tomilho e o creme de leite FRESCO..

Ingredientes básicos do recheio.. Alho bem e dedo de moça bem picados ao lado dos talos dos cogumelos também miúdos.. Sal, pimenta do reino e a cachaça para flambar.. Faltou na foto a salsa, o tomilho e o creme de leite FRESCO..

Na frigideira MUITO quente, doure os cogumelos dos dois lados.. Isso dá uma caramelização ao prato e confere muito sabor.. Tempere com sal e pimenta..

Na frigideira MUITO quente, doure os cogumelos dos dois lados.. Isso dá uma caramelização ao prato e confere muito sabor.. Tempere com sal e pimenta..

Entre primeiro com os talos na frigideira BEM quente.. Quando começar a refogar, abra espaço e coloque o alho e a dedo de moça.. E siga refogando... Minutos depois é a hora de flambar a cachaça com CUIDADO!!!

Entre primeiro com os talos na frigideira BEM quente.. Quando começar a refogar, abra espaço e coloque o alho e a dedo de moça.. E siga refogando… Minutos depois é a hora de flambar a cachaça com CUIDADO!!!

Após flambar, entre com o creme de leite fresco e com as ervas bem picadinhas... Mexa bem, deixe reduzir, corrija o sal e desligue o fogo.. Seu recheio está pronto!

Após flambar, entre com o creme de leite fresco e com as ervas bem picadinhas… Mexa bem, deixe reduzir, corrija o sal e desligue o fogo.. Seu recheio está pronto!

Arrume os cogumelos em uma travessa e entre com o recheio em cada um deles.. Enquanto isso, deixe o forno aquecendo a 220 graus...

Arrume os cogumelos em uma travessa e entre com o recheio em cada um deles.. Enquanto isso, deixe o forno aquecendo a 220 graus…

Após rechear os cogumelos, rale um parmesão de qualidade por cima e coloque no forno para gratinar...

Após rechear os cogumelos, rale um parmesão de qualidade por cima e coloque no forno para gratinar…

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Obs: sou marrento, mas na TV pareceu bem mais! Hahahaha!
Obs2: sou tão humilde que reconheço que o filé do Claude Troisgros ficou muito melhor que o meu. Se você quiser vai lá no site do GNT aprender o dele. Mas se quiser o meu é só clicar aqui.

Que Marravilha!!! Os bastidores de um dia inesquecível na minha cozinha com Claude Troisgros!

Certos momentos na sua vida são inesquecíveis. Sou um fã da comida, da simpatia e dos programas de Claude Troisgros. E nunca imaginava que um dia poderia ser chamado para participar de um episódio do Que Marravilha! (Obrigado, Luninha!!!). Muito menos que seria para a nova temporada na qual você cozinha para o chef na sua casa uma criação sua.  Pois é.. Foi isso o que aconteceu. Perna bamba, nervosismo, ansiedade.. O misto de sentimentos e sensações foi incrível. E no fim ver e perceber sinceridade nas palavras de um dos maiores após comer o que você fez foi um dos, como disse no início, grande momentos da minha vida.

O elenco do Que Marravilha! com a estrela.. A simpatia de Claude Troisgros é impressionante..

O elenco do Que Marravilha! com a estrela.. A simpatia de Claude Troisgros é impressionante..

O prato selecionado foi um cogumelo recheado com creme feito com os próprios cogumelos. Ao lado o já comentado aqui filé em crosta de ervas. A receita da estrela vou dar depois. Mas quem já comeu, e agora incluo Chef Claude, gostou muito. Fiz esse post apenas para revelar a novidade e mostrar um pouco dos bastidores. Ah! O programa vai ao ar em abril!

O cogumelo recheado ao lado do filé.. Este prato foi de improviso.. O que apresentei ao Claude estava mais bonito. Mas o sabor estava fantástico em ambos!

O cogumelo recheado ao lado do filé.. Este prato foi de improviso.. O que apresentei ao Claude estava mais bonito. Mas o sabor estava fantástico em ambos!

A cozinha virou estúdio. Impressionante a quantidade de equipamentos e a produção que envolve cenário e tudo mais.

Impressiona a quantidade de equipamentos na cozinha... Estrutura incrível..

Impressiona a quantidade de equipamentos na cozinha… Estrutura incrível..

Lá no fundo o fogão.. a produção cuida de todos os detalhes: decoração, cores, posicionamento..

Lá no fundo o fogão.. a produção cuida de todos os detalhes: decoração, cores, posicionamento..

O quarto virou sala de controle. O outro virou camarim. A estrutura é absurda…. Incrível! E impressiona.

O quarto foi tomado por caixas, telas, monitores, fios, cabos.. incrível demais a produção..

O quarto foi tomado por caixas, telas, monitores, fios, cabos.. incrível demais a produção..

Durante a gravação, a cozinha era minha, de Claude e de poucos membros da equipe. Mas a Luna conseguiu fazer um flagra deste momento surreal! Sim… Dividi a cozinha com o grande Troisgros! E o mais legal é ver o interesse do chef com o prato. Fora que a naturalidade com que ele fica diante das câmeras deixa qualquer um relaxado e confortável. Em dois minutos de gravação o nervosismo já tinha passado e ele parecia um grande amigo que costuma frequentar a minha casa toda semana.

Um flagra da Luninha no meio da gravação.. Inacreditável dividir a cozinha com Claude Troisgros!

Um flagra da Luninha no meio da gravação.. Inacreditável dividir a cozinha com Claude Troisgros!

No fim, todos caíram dentro do cogumelo: família, produção, suporte…

Após a maratona de mais de oito horas de gravação, família e equipe caíram dentro do cogumelo!

Após a maratona de mais de oito horas de gravação, família e equipe caíram dentro do cogumelo!

Ainda temos mais um dia de gravação e vou contar aqui para vocês. A próxima etapa é sentar em seu restaurante/estúdio e ver o que ele fará com a minha receita. Mas isso é apenas mais um detalhe de uma experiência completamente inesquecível! Mais informações sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos!