Arquivo da tag: carne assada

‘Quer ser feliz? Vá ao Momo!’ Agora entendi finalmente o bordão do amigo Gabriel da Muda. Que bar!

Outro dia o amigo Gabriel da Muda, hoje um dos grandes foodies do Rio de Janeiro (termo um pouco irritante confesso, mas que acaba representando bem os amantes da gastronomia que caçam bons lugares para comer e beber bem), postou em seu Instagram uma foto do espetacular frango assado do Rex, na Praça da Bandeira. Na legenda, uma espetada: “Beijo pros críticos de gastronomia que não atravessam o túnel”. Não sou tão radical, mas o fato é que existem grandes lugares para o lado de lá do Rebouças. Mas hoje vou ficar em apenas um deles: o Bar do Momo.

20140209_135656

O Momo conheci outro dia justamente com o Gabriel. Por ser quase um vizinho do bar, é um dos maiores frequentadores do local e acabou sendo indiretamente um divulgador das delícias que saem na hora da minúscula cozinha comandada pelo simpático Toninho ou pelo seu pai, o Tonhão. Cardápio? Esquece. Lá não tem. O que você encontra é o bom e velho boca a boca.

“E aí, Toninho? Tudo certo, meu camarada? Que que sai daí hoje?”. Essa frase é ouvida com frequência pelas mesas que ficam na calçada. Entre várias opções, uma é presença garantida faça chuva ou faça sol: o bolinho de arroz com linguiça. Frito na hora, como tudo por lá aliás, o bolinho é crocante por fora, cremoso por dentro, extremamente bem temperado e feito com muito esmero. O meu eu achava gostoso, mas vi que não chega nem perto (relembre aqui).

20140209_140750

É muito bom mesmo. Mas será que pode ficar melhor? Com certeza. Em uma das inúmeras vezes que esteve por lá, Gabriel da Muda levou Rafael Costa e Silva para conhecer Toninho. O ex-número 1 da cozinha do Mugaritz, que em breve inaugura o seu Lasai na Conde de Irajá, se meteu nas panelas do Momo e criou a incrível Tortilla de Bolinho de Arroz. A massa é a mesma do petisco, mas ganhou a adição de ovos quase como o tradicional prato espanhol. Inacreditável de tão gostoso.

20140209_144202

No campo dos jilós, Toninho também brilha. Ele vem cozido e recheado com uma carne assada que desmanchava na boca de tão macia. E o molho? Saboroso e untuoso, daqueles que o pão para limpar o prato se torna item obrigatório.

20140209_141822

Ainda tenho muitas iguarias para provar por lá: pastéis, lasanha de abobrinha com costela, entre outras ideias que fervilham na cabeça do Toninho. De fato fiquei apaixonado pelo bar e entendi porque em recado constante no Instagram do Da Muda. Nas palavras do próprio: “Quer ser feliz? Vá ao Momo!”. Ah! Mas quando for leve dinheiro porque lá não aceita nenhum tipo de cartão!

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Bar do Momo
– Rua General Espírito Santo Cardoso 50, Tijuca, Rio de Janeiro – RJ
(21) 2570-9389
Todos os dias a partir das 9h até 23h. Domingo até 18h.

Anúncios

A quarta dos sanduíches no Da Gema. Belo hambúrguer e um Bolovo inesquecível.

Já havia falado rapidamente sobre o Da Gema na época do Comida di buteco. Sou fã incondicional da casa comandada pelos sempre muito simpáticos Luiza e Leandro. A dupla criou um dos melhores cardápios de botequim que se encontra hoje pela cidade. Mas inquietos que são, lançaram recentemente dois dias temáticos. Na terça, relembram petiscos clássicos de bares tendo destaque absoluto para uma coxinha de galinha inesquecível e já tão falada e badalada. Mas a outra novidade acontece todas as quartas-feiras com sanduíches remodelados e um bolovo que fico salivando só de lembrar.

Não vou nem perder meu tempo com a decoração que exalta as criações da dupla e também o Rio de Janeiro. Nem ao criativo Samba da Gema, composto pelo amigo e um dos maiores gourmets da cidade Gabriel da Muda. Vamos ao que interessa: comida e bebida. Além das tradicionais Brahma, Antártica, Original e Heineken, o Da Gema agora conta com algumas artesanais brasileiras. Fã incondicional de IPA que sou, bebi uma Schornstein (R$ 25).

20131113_212651 20131113_212718 20131113_222903

O bolovo. Esqueça o que você tem na cabeça. Nada daquela massa pesada e do ovo cozido e duro no meio. Aqui ele vem envolto simplesmente por uma carne picada na ponta da faca com ervas aromáticas como alecrim e com o ovo no meio ainda com a gema mole (R$ 10). Tudo isso coroado por um molho de mostarda com mel que se mistura com a gema. Absurdo. De verdade, um absurdo. Um show de contrastes.

20131113_220443

Dele parti para o cachorro quente (R$ 16). O pão estava mole demais, mas a linguicinha mineira assada é especial. Além disso, o molho caseiro a base de tomate e pimentões vermelho e amarelo estava muito saboroso. E o sanduba ainda vem acompanhado de um belíssimo molho bérnaise.

20131113_223824

Saem as linguiças e o pão comprido para o hambúrguer e seu pão redondo (R$ 18). O cardápio diz peito, mas a cozinha alterou a receita e agora usa fraldinha. Aqui, a carne novamente picada na ponta da faca (como deve ser este tipo de hambúrguer sem maiores temperos – lembra deste post?). Desta maneira o sanduíche ganha em textura e sabor, já que leva em sua composição apenas sal e pimenta.

A carne veio mal passada, outra vez como tem de ser, e coroada por queijo e uma compota de berinjela. Olhando pensei que fosse cebola roxa, mas o processo de criação do prato terminou com esta cor que acaba te enganando. Um sabor excelente, meio adocicado e ácido ao mesmo tempo. Demais. As batatas que acompanham são largas e vieram quentinhas. O molho é o mesmo bérnaise do dogão.

20131113_222210

Nas quartas-feiras ainda rola um sanduba de carne assada com geleia de pimenta caseira. Mas não sobrou espaço para provar. E no fim, antes da conta, o amigo Brunet pediu um dos meus pratos favoritos na casa: Polentinha com Rabada. Tive de roubar uma e coroar uma noite maravilhosa. Agradeça aos santos que fazem a proteção da casa e volte sempre. Vida longa ao Da Gema!

20131113_235307

20131113_222910

Da Gema
– Rua Barão de Mesquita, 615 – lojas C e D, Tijuca, Rio de Janeiro – RJ -(21) 2208-9414
Terça e quarta, das 17h à meia-noite; Quinta, das 17h à 1h; Sex, das 15h às 2h; Sábado, do meio-dia às 4h; Domingo, do meio-dia às 22h

Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Casa Carandaí: almoço muito agradável de aniversário em meio ao “parque de diversões”!

A Casa Carandaí é um parque de diversões no Rio de Janeiro para quem gosta de comer e beber bem. A delicatessen, os pães, os vinhos e principalmente os exclusivos queijos (sempre ESPETACULARES) comercializados já valem a visita. São produtos de extrema qualidade e de seleção criteriosa ao seu alcance. Mas além disso o Café instalado nos fundos do imóvel faz com que você perca ainda mais tempo por lá. Você pode ir apenas para tomar um café, um lanche na parte da tarde ou, como no meu caso na última quinta-feira, um almoço comemorativo do meu aniversário.

20130711_124637 20130711_132526 20130711_124630

Acompanhado do velho amigo Chico Rezende, o Torcedor, pegamos uma mesa perto da cozinha aberta que dava para o acanhado, mas aconchegante e extremamente bem decorado salão. Na parede parte do cardápio já instigava quem estava sentado. Enquanto escolhíamos, uma taça de vinho branco (Festivo – Torrontés a R$ 14) e uma porção de generosos e saborosos bolinhos de arroz (R$ 18). O chutney de manga com gengibre estava simplesmente espetacular.

20130711_130514

Fui na sugestão da semana: filé de badejo com “escama” de batata, purê de baroa e molho de gengibre. A apresentação, como vocês podem ver, estava linda. A batata crocante em forma de escama foi um toque de classe. O purê poderia estar mais cremoso e o molho muito saboroso em maior quantidade, mas nada que comprometesse já que o peixe estava cozido de maneira impecável.

20130711_131057

Já o amigo Chico criou um novo prato. O Nhoque gratinado ao molho triplo burro (R$ 29) veio acompanhado de algumas fatias de carne assada que ficam expostas na tentadora vitrine do meio da loja. Foi só pedir, pesar e levar até a cozinha para esquentar e formar a clássica combinação (R$ 5 pelas três fatias). Aliás, fica aqui uma sugestão para o nhoque sempre vir acompanhado da carne. O sabor? Muito bom assim como a textura da massa, nem um pouco pesada.

20130711_131102

Em resumo, uma tarde muito agradável que iniciou bem as comemorações dos meus 28 anos. Resta agora tirar um sábado ou domingo para conhecer o bufê do café da manhã da Carandaí. Dúvidas ou considerações é só deixar no comentário ou mandar via Twitter ou Instagram (@GastroEsporte), ou melhor ainda, vai lá na página do Facebook e escreve por lá! Beijos e abraços em todos!

Casa Carandaí
Rua Lopes Quintas, 165 – Jardim Botânico – RJ
Telefone: (21) 3114-0179
Segunda a Sábado – 09hàs 20h e Domingo – 09h às 15h

Cabidinho: salvando madrugadas com chope, pastéis e sanduíches.. Mas fique por aí!

O estilo de vida boêmio já fez parte da minha vida com muita intensidade. Quantas vezes os bares foram fechados e você ainda tinha vontade de beber aquela saideira? E meu refúgio nestes momentos é sempre o Cabidinho. O local fica aberto 24h todos os dias inclusive com a cozinha saindo petiscos e até pratos. Confesso que nunca fiz uma refeição lá. Não é o lugar que vai me tirar de casa para comer qualquer coisa. Mas no básico funciona bem em qualquer momento.

Balcão mostra ingredientes dos sanduíches, cachaças e mais alguns produtos.. Clima de bar..

Balcão mostra ingredientes dos sanduíches, cachaças e mais alguns produtos.. Clima de bar..

A última visita, por exemplo, foi no domingo de muita chuva (por isso não fiz foto da fachada, simplesmente não tinha como). Após muito trabalho na vitória do Fluminense sobre o Audax, cheguei na casa depois da meia noite com fome e sede. A solução, mais uma vez, foi o velho Cabidinho. A decoração não foge muito dos padrões dos bares. Mas confesso que não curto a pintura da parede que leva para o segundo andar não.

A parede no caminho para o segundo andar conta com uma pintura que não é das mais bonitas...

A parede no caminho para o segundo andar conta com uma pintura que não é das mais bonitas…

A variedade de pastéis é grande e eles são sempre fritos na hora. Dos básicos de queijo e carne até elaborados como brie com damasco ou parma, carne de sol com queijo coalho e camarão com alho poró e catupiry. Os preços ficam entre R$ 4 e R$6. Fiquei no de queijo prato, o mesmo dos sanduíches. Ele não está no cardápio, mas é só pedir. Veio espetacular. Crocante no ponto certo e com o queijo muito derretido. Sente só que beleza.

Pastel de queijo.. Este não consta no cardápio, mas é só pedir.. Veio perfeito...

Pastel de queijo.. Este não consta no cardápio, mas é só pedir.. Veio perfeito…

Para beber chope Brahma. O preço é até um pouco alto em comparação a alguns bares que servem a mesma bebida em Botafogo (R$ 5,50), mas vamos relaxar. Os caras trabalham a madruga inteira! E a tulipa está sempre gelada!

Chope Brahma bem tirado.. Repare como a base do copo está congelada, o que mantém a temperatura!

Chope Brahma bem tirado.. Repare como a base do copo está congelada, o que mantém a temperatura!

Como disse, não saio do básico. E a outra principal opção da casa são os sanduíches. Estão lá tradicionais hambúrgueres, mas fico nos clássicos. Ah! E sempre rola promoção. Lombinho, pernil e carne assada com abacaxi (opcional) e fritas estavam por apenas R$ 13. O queijo adicional custa R$ 3. E são muito bem recheados.

Fui no de carne assada. Estava um pouco seca, mas saborosa. E o queijo trazia uma umidade ao sanduíche que conta com um pão saboroso. As opções são muitas também. Filé mignon, rosbife, salame, calabresa, copa, parma, queijo do reino… E, como disse, são bem corretos.

Sanduíche muito bem recheado com queijo muito gostoso e pão na medida.. Dispensei o abacaxi..

Sanduíche muito bem recheado com queijo muito gostoso e pão na medida.. Dispensei o abacaxi..

O bar oferece também empadas abertas no estilo das vendidas na rede Belmonte. Entre opções coletivas estão lá gurjões, que já provei e não curti tanto, bolinhos, filé aperitivo, pizzas, carne seca com aipim, etc… Ou seja, petiscos tipicos de um bar sem muita frescura. Me disseram uma vez que dá para comer um bom bacalhau por lá. Não vou me arriscar mesmo, mas eles estão lá no cardápio. Prefiro ficar na zona de conforto. Seja no meio da tarde ou depois das 5h ouvindo Nelson Gonçalves cantar “A Volta do Boêmio”.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Boteco Cabidinho

– Rua Paulo Barreto, 65, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ, (21) 2539-8737 / (21) 2527-2942
Diariamente, 24h