Arquivo da tag: Bazzar

O maravilhoso retorno ao Bazzar deixou a pergunta: por que demorei tanto tempo?

Precisava voltar ao Bazzar. Minha estreia no restaurante não foi inesquecível e saí de lá com uma pulga atrás da orelha. Por diversas vezes pensava: “hoje é o dia de voltar!”. Mas acabava adiando. Em outras, o amigo Gabriel da Muda chegou a me ligar para armar o retorno, mas em todas as oportunidades acabava tendo algum compromisso. E sofria com as fotos lindas no Instagram dele e de demais entusiastas do lugar, além, é claro, da Cris Beltrão, que comanda o empreendimento de muito sucesso. Mas finalmente voltei. E como bem disse o Rei no milionário comercial da marca de carnes, foi para ficar.

Tudo no Bazzar é agradável. A começar pela beleza da casa: iluminada, bem decorada e com direito ao Bubble Bar logo após a entrada onde as sugestões de drinks e taças borbulhantes são muitas. Aliás, acho que minha próxima parada vai ser por ali mesmo.

20140312_134029

Acomodado, não há como dizer não ao couvert. Pães fresquinhos, sempre quentinhos e constantemente repostos. A focaccia de ervas estava macia e saborosa, assim como o pão de limão. As torradinhas extremamente crocantes podiam ser degustadas com azeites aromatizados com ervas ou laranja, manteiga com flor de sal e um extremamente aromático chutney de tomate. Um show. Na taça o frescor do Lagarde Viognier ajudava a amenizar o calor que voltou a fazer no nosso Rio.

20140312_132904 20140312_135944

As opções no cardápio são apetitosas. A descrição vai te deixando louco. Mas a minha pedida não está por lá: o hambúrguer (R$ 26,90). Feito com picanha – a carne e a gordura são moídas separadamente -, veio no ponto certo: mal passado no centro e grelhado por fora, coroado com fatias de queijo cheddar. Um hambúrguer simples, sem grandes invencionices, mas extremamente bem feito, o que tem sido cada vez mais difícil de achar no Rio.

As batatas fininhas, uma marca registradas, vieram crocantes por fora e macias por dentro. Outra vez com preparo que mostrou muito cuidado. Ao lado, chutney de tomate e os molhos da casa: mostarda e barbecue. Uma delícia que mereceu até close. Obrigado pela dica, da Muda!

20140312_140327 20140312_140337

Mandinha, minha companhia no almoço, é outra fã do Bazzar. Mas ela sempre pede o mesmo prato: Mignon com molho de Damasco e Risoto de Brie. Convenci ela a mudar e acho que o novo prato virou o favorito. O Risotto Acquerello com queijo Manchego curado e Pata Negra (R$ 59,80) estava completamente impecável. Um show de sabores provenientes dos fortes ingredientes que combinaram de maneira perfeita: o arroz envelhecido por sete anos, o queijo de personalidade e a fatia do Pata Negra. Muito, mas muito gostoso mesmo!

20140312_140318

Não aguentava mais nada, mas arrumamos um espaço para provar a Torta de Limão. Não é meu doce favorito, mas estava muito bem feito com direito a brulée em cima e farofinha do lado. Encerramos muito bem o almoço.

20140312_143509

Caminhando de volta, feliz após uma refeição incrível, a pergunta lá de cima voltou: por que demorei tanto tempo para retornar ao Bazzar? Não sei responder. Mas agora tenho a certeza de que o espaço de tempo até a próxima visita será menor. Muito menor!

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Bazzar

– Rua Barão da Torre – 538, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ, (21) 3202-2884
Diariamente, do meio-dia à 1h.

Ribs on the Barbie, ou a costelinha barbecue. Com mel e o molho do Bazzar, o porquinho ficou um luxo!

No início da semana coloquei como tinha sido o clima do Super Bowl aqui em casa. Foram duas Ribs diferentes. A primeira, com Honey Mustard, você já conferiu e pode relembrar aqui. Mas vamos para a segunda, talvez a mais tradicional e emblemática dos Estados Unidos. Em qualquer canto por lá você encontrar gente segurando os ossos com a mão e ficando todo sujo de Barbecue. Ou então lá no Outback com as famosas Ribs on the Barbie. Portanto, por que não fazer em casa?

20140202_222448

Mas confesso que aqui preferi a praticidade. Ou seja, usei um molho Barbecue comprado pronto. E o escolhido foi o do Bazzar. Com especiarias e ervas, foge daquele gosto forte e em alguns momentos artificial em demasia de fumaça. Para deixar mais caramelizada, somei ainda mais duas colheres de sopa cheias de mel.

A marinada da costela você lembra da outra receita. O pote do molho do Bazzar tem 270g e eu usei metade dele misturado com o mel. Feito isso, basta espalhar seu molho pela costelinha e levar ao forno.

20140202_182233 20140202_182611

O processo para assar também é o mesmo. Cubra com papel alumínio e entre com ela no forno bem baixo, cerca de 150°, por quatro horas. A cada hora dê um confere. Como aqui não coloquei a marinada junto como fiz na Honey Mustard, é bom ficar de olho sempre na água. Secou? Coloque mais um pouco. Após as quatro horas, aumente o forno e tire o papel para ela caramelizar. Se quiser colocar mais um pouquinho do molho também pode.

20140202_192440 20140202_222448

No fim é só se lambuzar mesmo. Até porque, costelinha é para comer com a mão mesmo, estilo ogro! E, como disse anteriormente, o Super Bowl não precisa ser desculpa para essa maravilha.

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)! Até a próxima!

Bazzar: altos e baixos em minha estreia na casa. Volta agora será para conhecer o Bubble Bar..

Sempre tive curiosidade de ir ao Bazzar. Passava ali pela Barão da Torre e olhava com curiosidade a bonita fachada e a charmosa decoração da casa. Além disso, a notícia de uma boa cozinha animava. No fim de semana matei minha a vontade. E confesso que, apesar da boa companhia e das risadas, o principal acabou marcado pela irregularidade. E em uma casa com preços não tão acessíveis assim, esperava algo próximo do impecável.

Antes de chegarmos lá, um panorama rápido da bem decorada casa. O bar logo na entrada chama atenção. Fiquei com vontade de sentar lá e tomar um espumante, já que agora eles investiram em uma bela carta e um cardápio próprio criando um Bubble Bar. A carta conta com rótulos nacionais mais acessíveis e estrelas do mundo como a badalada Krug e a clássica Dom Pérignon.

O bar envidraçado fica na entrada do bem decorado salão.. Fiquei com vontade de voltar e ficar por ali..

O bar envidraçado fica na entrada do bem decorado salão.. Fiquei com vontade de voltar e ficar por ali..

Mas não era a proposta da noite, e fomos para uma mesa perto da adega de vidro elegante. O couvert é simples: pães variados, azeite clássico, azeite aromatizado com laranja e uma manteiga com flor de sal. Seria válido caso os pães, que são repostos de maneira constante, estivessem frescos e quentes. Não era o caso. A focaccia clássica e a de limão deram a impressão de ter sido feitas há muito tempo. E o azeite de laranja estava forte demais. De bom a manteiga deliciosa e as torradinhas com alecrim. O preço? R$ 11,90 por pessoa.

Manteiga deliciosa assim como a torradinha... O resto decepcionou no simples couvert da casa..

Manteiga deliciosa assim como a torradinha… O resto decepcionou no simples couvert da casa..

Não estava com muita fome então escolhi uma das opções de entrada para ser meu prato principal. Muitas me chamaram atenção, mas escolhi o carpaccio de pato com queijo de cabra e tomilho (R$ 38,20). A expectativa existia já que muito li sobre o prato, mas acabou sendo uma decepção. O tomilho simplesmente não estava lá e certamente traria frescor e equilíbrio. O queijo se sobrepôs e mascarou o sabor do pato. Uma pena.

Faltou capricho na apresentação e o tomilho do cardápio.. O queijo sobressaiu e mascarou o pato...

Faltou capricho na apresentação e o tomilho do cardápio.. O queijo sobressaiu e mascarou o pato…

Mas não foi apenas eu quem ficou na entrada. A sopa cremosa de milho com queijo de cabra e cogumelos acompanhada de pão italiano com ervas também virou refeição principal (R$ 26,30). Estava saborosa, bem doce e no ponto certo. Mas há de se ressaltar que os acompanhamentos são detalhes. Quase uma decoração.

Como disse, a saborosa sopa contava com dois elementos chamativos quase como decoração.. Erro..

Como disse, a saborosa sopa contava com dois elementos chamativos quase como decoração.. 

No capítulo dos pratos principais, não provei o filé mignon com molho agridoce de damasco. Ele veio acompanhado de arroz cremoso de queijo brie. Provei o acompanhamento e sinceramente não achei nada demais. A carne foi elogiada. Este prato tinha opção de ser pedido em um tamanho menor por R$ 39,70.

A meia porção do filé com damasco e arros cremoso de Brie...

A meia porção do filé com damasco e arros cremoso de Brie…

A estrela da noite, porém, foi um suculento Prime Rib com palmito pupunha gratinado e alho negro (R$ 74,70). A carne não estava das mais macias, mas compensou em sabor. E veio no ponto ideal de cozimento. Realmente muito boa. Só que dos deuses estava o palmito. A textura estava boa, o molho saboroso e o alho negro coroou o prato. Um espetáculo. Ah! O vinho da noite foi um Callia Shiraz. bom argentino por R$ 89.

O Prime Rib não estava dos mais macios, mas compensou em sabor e veio no ponto certo.. O palmito estava perfeito!

O Prime Rib não estava dos mais macios, mas compensou em sabor e veio no ponto certo.. O palmito estava perfeito!

Pedimos ainda uma sobremesa: crepe de nutella com sorvete de baunilha (R$ 15,30). Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa. Viciado em nutella como sou, colocaria mais um pouquinho. Mas aqui não tem como errar.

O crepe veio no ponto certo.. Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa.. Não tem como errar aqui!

O crepe veio no ponto certo.. Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa.. Não tem como errar aqui!

No geral, a noite teve mais baixos do que altos. Esperava mais de um lugar badalado e com preços acima da média. Mas pretendo voltar. De repente foi um dia ruim apenas como todos os lugares podem ter. Os acertos deixaram animados e com a esperança de que uma segunda oportunidade será melhor de repente com outras escolhas. E o Bubble Bar me arrebatou. Quero sentar por lá.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Bazzar

– Rua Barão da Torre – 538, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ, (21) 3202-2884
Diariamente, do meio-dia à 1h.