Arquivo da categoria: Confraria

Jantar de fim de ano da Confraria Velusué: inspiração para a semana após muita comida e belos vinhos!

Poucas coisas são mais divertidas do que quando um grupo de pessoas amigas se reúne para beber e comer bem. É garantia de bons momentos e muitas risadas. Este é o princípio que rege a Velusué, confraria de vinhos para a qual fui convidado pela minha sogra Marcia. Os encontros, este foi meu terceiro e os outros dois vocês relembram aqui e aqui, são sempre extremamente divertidos e acima de tudo saborosos.

Este ano, pela primeira vez, o presidente e chef Beto abriu sua cozinha para demais membros. E mesmo sendo um calouro tive a honra de passar a tarde por lá, acompanhar a finalização de muitos amuses e pratos e dar minha contribuição com os cogumelos do Que Marravilha!. Foi uma tarde especial.

Neste post não teremos receitas. É para servir apenas de inspiração. Daqui podem sair ideias de apresentação e também de pratos. Alguns aprendi e futuramente com certeza colocarei no blog. A mesa de antipasto, por exemplo tinha um belo hummus caseiro, babaganuche, punheta de bacalhau, tomates secos que foram hidratados em casa com azeite aromatizado, rolinhos de berinjela com ricota temperada…

20131214_214928 20131214_212034

Este mereceu um close e será reproduzido aqui em casa, e consequentemente no blog, ainda este ano. Alhos confitados em azeite com alecrim, tomilho e pimenta rosa. Espetacular.

20131214_212116

O primero amuse da noite foi um gazpacho com manjericão macerado em azeite e mussarela de búfala. Outra que estará aqui no blog em breve.

IMG-20131216-WA0003

Em seguida creme de baroa feito com a água do camarão coroado pelo próprio camarão salteado com alho, pimenta rosa e coentro.

20131214_221022

O auge da noite, na minha opinião, foi a polentinha. Cremosa e saborosa em função do caldo de legumes caseiro, foi servida com uma gema crua de codorna e trufas negras. Absurdo.

20131214_223536

Outro ponto alto foi o chorizo português picante rapidamente salteado em frigideira com mel de figo, iguaria que não conhecia. Maravilhoso e um show de contrastes.

20131214_225248

Os principais foram três. O frango recheado com damasco e envolto em bacon ou presunto de parma veio com uma redução de mel, shoyu e suco de laranja.

20131214_230502

O bacalhau de forno vinha com cenouras, batatas e coroado por ovos batidos, parmesão e bastante azeite.

20131215_001739

Já os meus cogumelos foram servidos ao lado de escalopes de mignon com Aceto Balsâmico envelhecido.

IMG-20131216-WA0004

Nos vinhos, a foto mostra que a festa foi boa. Entre os espumantes destaque absoluto para o Salton Gerações Antônio Domenico Salton. Uma beleza de cor intensa e aromas bem interessantes. Nos tintos, fomos do Uruguai até a Austrália. Mas o destaque foram dois franceses. Um da região de Bordeaux, o Le Colombier de Brown. O outro foi o Le Château Musset Chevalier, um Saint Emilion Grand Cru. Espetacular.

20131215_022259

Espero ter inspirado os amigos e amigas leitores assim como fui pelo Chef Beto e seus confrades. Como disse, algumas das receitas em breve postarei aqui completinhas. Aqui a ideia foi só deixá-los com certa inveja. Uma boa semana a todos. Saúde!

Mais informações sempre na página do Facebook, E no Instagram (@GastroEsporte)!

Anúncios

Um intruso na Confraria: vinhos, muita comida, bullying e o “pedido” de noivado!

Amigos de longa data, espumantes, brancos e tintos rolando sem parar, comida espetacular do início ao fim e um penetra! No caso eu mesmo. Este foi o resumo do último encontro de 2012 da Confraria da qual minha sogra Marcia participa. Acabei me tornando um agregado e terminei a tarde com um pedido de noivado após livre e espontânea pressão. Mas isso falo lá na frente. Vou reproduzir algumas fotos com grandes ideias para os amigos repetirem em casa, principalmente em termos de entradinhas. Receitas, infelizmente não temos com precisão. Mas espero que no próximo encontro o chef Beto revele alguma para a gente.

A primeira visão da festa era essa: viúvas descansando em banho de gelo... Prenúncio de uma grande tarde!

A primeira visão da festa era essa: viúvas descansando em banho de gelo… Prenúncio de uma grande tarde!

Entre os antepastos, salmão defumado com um creme fresco e saboroso. Cebolinha e limão faziam parte. Ideia sempre clássica e eficaz. Abobrinhas e beringelas grelhadas com azeite, alho picado, dedo de moça entre outros temperos. Maravilha também. Grissinis de vegetais com dip de geleia de pimenta. A mesa seguia com parma fininho e um doce de figo, alternativa legal para a fruta fresca. Vagens al dente também se faziam presentes para molhar em um espetacular dip de mostarda, balsâmico, alho e novamente a dedo de moça. Ainda tinham pimentões assados e marinados em azeite e um rosbife fininho e rosa por dentro, do jeito que eu curto.

Como descrevi acima, foi uma bela mesa de entradas e com ideias criativas..

Como descrevi acima, foi uma bela mesa de entradas e com ideias criativas..

Mas a grande estrela do antepasto é um clássico sempre legal de se ver e comer. Barquetes feitas com folhas de endívias recheadas com um creme de gorgonzola e coroada com cubos crocantes de bacon. Rolou até um close!

Um close nas endívias com gorgonzola e bacon... Texturas e sabores fantásticos..

Um close nas endívias com gorgonzola e bacon… Texturas e sabores fantásticos..

Para beber? Espumantes bem gelados: Valduga 130, Miolo Millésime, Salton Volpi, Cave Geisse Nature e Freixenet Cordon Negro. Tiveram brancos também como Viu Manent Gran Reserva, um Morandé Edicion Limitada e um excelente Pouilly Fumé.

Seguimos para os quentes. Lá na churrasqueira estava o Beto sem aceitar ajuda de ninguém. “Defumado”, nosso chef nos serviu sardinhas portuguesas na brasa dignas do Recanto das Concertinas, no (a) Cadeg. Servidas com cebolas e batatas assadas no mesmo local e bastante azeite. Não precisa de mais nada.

Sardinhas portuguesas feitas na brasa.. Azeite e carvão... Precisa de mais o que?

Sardinhas portuguesas feitas na brasa.. Azeite e carvão… Precisa de mais o que?

O banquete seguiu com um belo lombo de salmão temperado com alecrim e um toque de alho também assado na brasa, mas desta vez em cima de uma pedra que manteve a integridade do peixe, mas não impediu de receber o sabor da churrasqueira. O acompanhamento eram aspargos brancos e verdes fresquinhos e grelhados em chapa de ferro.

E cada vez mais comida.. Desta vez Salmão ao lado de aspargos brancos e verdes em chapa de ferro..

E cada vez mais comida.. Desta vez Salmão ao lado de aspargos brancos e verdes em chapa de ferro..

Acabou? Nada disso. Vamos aos pratos mais substanciosos e aos tintos mesmo em uma tarde de sol e calor. Risoto carreteiro: adaptação da receita gaúcha com estilo italiano. Assim que souber os ingredientes certinhos tentarei fazer em casa. Delícia.

Risoto carreteiro.. Receita gaúcha feita de maneira italiana... Essa ideia vou roubar!

Risoto carreteiro.. Receita gaúcha feita de maneira italiana… Essa ideia vou roubar!

Entre os tintos, excelentes opções, mas o close vai em um só: Saint Felicien Tributo al 2º Centenario, da Catena Zapata. Além de ser maravilhoso, foi o vinho que desencadeou o bullying violento que sofri. Aos que não sabem, fiz cirurgia bariátrica e já pesei 160 quilos. Nem nessa época fui tão massacrado! Tudo porque ainda não assumi a Luna como noiva. Participei de um julgamento mais duro que o do Mensalão. A foto está aí. Olha a pressão!

O vinho do Bullying.. Nunca sofri tanto.. Aí começou a perseguição!

O vinho do Bullying.. Nunca sofri tanto.. Aí começou a perseguição!

Mas voltemos ao almoço. Chegamos finalmente ao prato principal. E se soubesse que estaria tão espetacular teria comido um pouco menos antes, afinal de contas meu estômago é pequeno e tudo tem de ser dosado. Uma paleta de porco assada em forno baixo por mais de seis horas que dava para comer sem faca. O acompanhamento? Maçã verde e abacaxi caramelizados e uma abóbora com gorgonzola, nozes e alecrim.

Paleta assada em forno baixo e a abóbora... Acabei infelizmente não fotografando as maçãs e os abacaxis!

Paleta assada em forno baixo e a abóbora… Acabei infelizmente não fotografando as maçãs e os abacaxis!

No fim, o auge do brinde. Veuve Clicquot, a popular viúva. Discursos emocionados, algumas lágrimas, mas muita alegria. O grupo se conhece há muito tempo e comemorava 10 anos de confraria. Torta, trufas, pão de mel e um Porto para acompanhar.

A torta dos 10 anos da confraria rodeada pelas estrelas... Grandes rótulos em uma grande tarde..

A torta dos 10 anos da confraria rodeada pelas estrelas… Grandes rótulos em uma grande tarde..

Coroou uma tarde maravilhosa que terminou desse jeito aí ó. Em função do bullying, tive de forçar um pedido de noivado antecipado! Mas nada que não faça parte dos planos futuros. Só que da próxima vez ela vai poder ficar com a aliança e não terá de devolver para a dona! Saúde e até amanhã!

No fim o bullying foi tanto que saiu o pedido de noivado com uma aliança emprestada!

No fim o bullying foi tanto que saiu o pedido de noivado com uma aliança emprestada!