Arquivo mensal: abril 2013

Os Cogumelos Recheados do Que Marravilha! Aprenda a receita que ensinei a Claude Troisgros! E boas férias!

Se alguém não ficou sabendo, participei do Que Marravilha Revanche! com o chef Claude Troisgros. A experiência foi inesquecível e o programa ficou fantástico (os bastidores podem ser relembrados aqui e aqui). Se alguém não viu, as reprises acontecem ainda nesta sexta às 11h30 e 18h, no sábado (dia 20) às 12h e no domingo (dia 21), às 10h30. O prato que “ensinei” ao Claude foi o meu já tradicional cogumelo recheado. Quem já provou sabe como é bom. Até mesmo o renomado chef curtiu! Então agora repasso a receita para vocês e peço: façam em casa. Vale muito a pena.

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

MARRAVILHA de cogumelos recheados! Confira o passo a passo abaixo e aproveite!

Este post não seguirá o padrão do meu blog. Colocarei no início a receita como a enviada para o site do GNT e logo abaixo a sequência de fotos ilustrando o passo a passo do prato com as explicações nas legendas. Espero que entendam tudo direitinho. Qualquer dúvida podem me perguntar lá no Facebook ou no Twitter. Portanto: divirtam-se!

E aproveito para dizer que embarco nesta sexta para a Europa em viagem de férias. O blog irá ficar parado pelos próximos 20 dias, mas voltará já já com muitas novidades! Obrigado pelo carinho de todos e sigam curtindo o GastroEsporte!

Cogumelos a GastroEsporte!
Ingredientes:
800g de cogumelos Paris limpos
3 dentes de alho picados
1 pimenta dedo-de-moça picada
300ml de creme de leite fresco
Salsa picada (a gosto)
Tomilho picado (a gosto)
Cebolinha francesa picada (a gosto)
Sal (a gosto)
Pimenta-do-reino (a gosto)
Azeite
1 colher (sopa) de manteiga
100g de queijo parmesão ralado
Ingrediente curinga: 1 dose de cachaça

Modo de preparo:
– Limpe os cogumelos com pano úmido. Retire os talos e reserve. Com um boleador, ou mesmo uma colher, retire um pouco do interior do cogumelo para abrir espaço para o recheio.
– Em uma frigideira bem quente, coloque azeite e frite rapidamente os cogumelos. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Em seguida, coloque em uma travessa e reserve.
– Para fazer o recheio, pique bem os talos, o alho, a pimenta dedo-de-moça, a salsa, a cebolinha francesa e o tomilho. Esquente bem a mesma frigideira em que fritou os cogumelos e coloque azeite. Acrescentes os talos. Assim que começar a refogar, coloque o alho, a pimenta dedo-de-moça e a colher de manteiga. Tempere com sal e pimenta-do-reino. – Inclua a dose de cachaça e flambe com cuidado. Após o álcool evaporar, coloque o creme de leite e as ervas.
– Coloque o recheio no interior dos cogumelos grelhados, polvilhe o parmesão por cima e leve ao forno preaquecido, a 200ºC, para gratinar.

Após limpar os cogumelos com o pano úmido, tire os talos e reserve.. Com um boleador ou uma colher de café, raspe o interior dos cogumelos e descarte..

Após limpar os cogumelos com o pano úmido, tire os talos e reserve.. Com um boleador ou uma colher de café, raspe o interior dos cogumelos e descarte..

Ingredientes básicos do recheio.. Alho bem e dedo de moça bem picados ao lado dos talos dos cogumelos também miúdos.. Sal, pimenta do reino e a cachaça para flambar.. Faltou na foto a salsa, o tomilho e o creme de leite FRESCO..

Ingredientes básicos do recheio.. Alho bem e dedo de moça bem picados ao lado dos talos dos cogumelos também miúdos.. Sal, pimenta do reino e a cachaça para flambar.. Faltou na foto a salsa, o tomilho e o creme de leite FRESCO..

Na frigideira MUITO quente, doure os cogumelos dos dois lados.. Isso dá uma caramelização ao prato e confere muito sabor.. Tempere com sal e pimenta..

Na frigideira MUITO quente, doure os cogumelos dos dois lados.. Isso dá uma caramelização ao prato e confere muito sabor.. Tempere com sal e pimenta..

Entre primeiro com os talos na frigideira BEM quente.. Quando começar a refogar, abra espaço e coloque o alho e a dedo de moça.. E siga refogando... Minutos depois é a hora de flambar a cachaça com CUIDADO!!!

Entre primeiro com os talos na frigideira BEM quente.. Quando começar a refogar, abra espaço e coloque o alho e a dedo de moça.. E siga refogando… Minutos depois é a hora de flambar a cachaça com CUIDADO!!!

Após flambar, entre com o creme de leite fresco e com as ervas bem picadinhas... Mexa bem, deixe reduzir, corrija o sal e desligue o fogo.. Seu recheio está pronto!

Após flambar, entre com o creme de leite fresco e com as ervas bem picadinhas… Mexa bem, deixe reduzir, corrija o sal e desligue o fogo.. Seu recheio está pronto!

Arrume os cogumelos em uma travessa e entre com o recheio em cada um deles.. Enquanto isso, deixe o forno aquecendo a 220 graus...

Arrume os cogumelos em uma travessa e entre com o recheio em cada um deles.. Enquanto isso, deixe o forno aquecendo a 220 graus…

Após rechear os cogumelos, rale um parmesão de qualidade por cima e coloque no forno para gratinar...

Após rechear os cogumelos, rale um parmesão de qualidade por cima e coloque no forno para gratinar…

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

Após o forno, o queijo gratinou e seu cogumelo está pronto.. Delicioso.. Dá trabalho, mas vale MUITO a pena!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Obs: sou marrento, mas na TV pareceu bem mais! Hahahaha!
Obs2: sou tão humilde que reconheço que o filé do Claude Troisgros ficou muito melhor que o meu. Se você quiser vai lá no site do GNT aprender o dele. Mas se quiser o meu é só clicar aqui.

Comida di Buteco: os três últimos. Da Gema virou meu favorito e estreante pisa feio na bola!

E continua a peregrinação! Só que, infelizmente, o Comida di Buteco 2013 vai acabar para mim já que embarco ainda esta semana para as minhas férias. Mas antes de cruzar o Atlântico, os últimos pitacos da competição e de todos que eu provei, que você pode conferir clicando aqui e depois aqui, descobri o meu favorito. Após um prato elaborado que não conseguiu me encantar na edição do ano passado, apesar de ter sim um bom sabor, o Da Gema voltou ao simples e fez um petisco que fica na memória.

Dono de resultados empolgantes na competição (já abocanhou um título, um vice e também uma conquista no petisco Doritos), o Da Gema lançou este ano o Atoleiro Carioca. Trata-se de peito bovino, linguiça e aipim cozidos servidos com pesto de agrião (R$ 24). A diversão já começa pela apresentação. Sobre uma tábua de madeira, o petisco vem servido em uma panelinha que lembram as cocottes francesas acompanhado de dois pãezinhos providenciais para raspar o molho que fica no fundo e uma pimenta bem temperada.

A carne estava macia e com tempero perfeito. O aipim bem cozido e a linguiça saborosa. Mas a estrela é o surpreendente pesto de agrião de sabor marcante, mas completamente equilibrado. O prato é de uma harmonia incrível. Estava tão gostoso que a mesa com os amigos Pedro Ivo, Luciano Mello e Miguel Caballero repetiu a pedida por duas vezes. Ponto para os talentosos e simpáticos Leandro e Luiza, que tocam a casa que conta ainda com um belíssimo cardápio. Bebemos Heineken.

O Da Gema despontou como favorito para mim.. Carne impecável, pesto surpreendente e tudo harmonioso!

O Da Gema despontou como favorito para mim.. Carne impecável, pesto surpreendente e tudo harmonioso!

Antes do Da Gema, passamos pelo Rio Brasília para comer a Porpeta do Presidente JK. Trata-se de uma porção com seis almôndegas de carne recheadas com linguiça (R$ 15). E o estreante não me empolgou. Achei pesado. Faltou delicadeza no preparo e o conjunto estava bem seco, apesar de bastante engordurado. Positivo o sabor da linguiça e o quase sempre dispensável molho de maionese. Foi ele quem deu umidade ao prato. Outro ponto positivo foi a temperatura impecável da Heineken.

O estreante Rio-Brasília veio com almondega que estava pesada, seca e com gordura em excesso...

O estreante Rio-Brasília veio com almondega que estava pesada, seca e com gordura em excesso…

E neste post acabei começando do melhor para o pior. No (a) Cadeg, o estreante Bar Corujão pisou feio na bola. O petisco denominado Explosão de Sabor estava bem abaixo do esperado. Trata-se de um quadrado de massa de aipim recheado com bacalhau, palmito e azeitona coberto com queijo parmesão (R$ 15). Primeiro ponto negativo foi a temperatura do prato que estava frio. O recheio estava com pouco tempero e nada harmonizava. Faltou capricho também na massa, bem pesada. Uma pena.

Apresentação ruim, queijo passado e recheio sem sabor.. O estreante Corujão foi mal demais..

Apresentação ruim, queijo passado e recheio sem sabor.. O estreante Corujão foi mal demais..

É isso, amigos. Estes foram os que consegui provar em três dias bem corridos. Agora vou acompanhar o resultado de longe. Como já disse, os endereços e horários dos bares você confere no site oficial do Comida di Buteco.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Comida di Buteco: mais três bares visitados… Tradição da Adega Pérola saltou aos olhos e Sat’s é sempre Sat’s!

O primeiro dia foi movimentado. Foram cinco bares em uma tarde tranquila de domingo. Quem não leu os comentários pode clicar aqui e matar a curiosidade. Como disse lá, meu tempo é curto já que embarco na sexta para curtir as férias. Mas enquanto isso a gente mata a curiosidade de mais concorrentes desta edição do Comida di Buteco. Então, na última segunda, fui acompanhado do amigo e referência Pedro Ivo conhecer mais três concorrentes. E diria que foram excelentes surpresas.

Abrimos a noite no Caldo Beleza. O petisco, chamado Linguiça Abestada, é quase um caldo em pedaços. Aipim, linguiça e costelinha de porco bem cozidas e servidas em caldo untuoso (R$ 25). Estava tudo macio e saboroso. O sal ficava equilibrado quando se provava todos os componentes juntos. A pimenta biquinho que vinha decorando caiu bem. Jogou contra a falta do pão para comer junto e a temperatura da cerveja: tanto a Heineken em lata como o chope Brahma não estavam trincando.

Aipim, costelinha e linguiça em caldo rico, untuoso e saboroso.. Quase uma sopa em pedaços...

Aipim, costelinha e linguiça em caldo rico, untuoso e saboroso.. Quase uma sopa em pedaços…

Rumamos então para o Adega Pérola, dos bares mais tradicionais da cidade. E aqui a fama e a experiência jogaram a favor. A Linguiça de Baco foi um belo petisco (R$ 20). Trata-se de rodelas de linguiça cozidas em vinho tinto e cobertas com gorgonzola derretido e cebola. O vinho utilizado no preparo, que certamente é dos mais baratos, acabou equilibrando e casando muito bem com a força do queijo e o sabor intenso da linguiça. Uma excelente pedida acompanhada de chope Brahma, desta vez bem gelado.

Linguiça cozida no vinho tinto, cebola e gorgonzola.. Tudo harmonizou muito bem na Adega Pérola..

Linguiça cozida no vinho tinto, cebola e gorgonzola.. Tudo harmonizou muito bem na Adega Pérola..

Finalizamos a noite no Galeto Sat’s, ponto mais do que tradicional para quem quer tomar aquela saideira em paz. Recebido de braços abertos pela simpatia que é o Serginho, provamos o Bacalhau Agasalhado (R$ 35). Trata-se de uma generosa porção da linguiça de bacalhau que já dava as caras no cardápio da casa, mas desta vez foi produzida em versão mais delicada que o habitual. Invenção criativa, saborosa e que vem acompanhada de pimentões, cebola, azeitona e ovos de codorna. O sabor é diferente e instiga a comer mais. Bebemos novamente o chope Brahma sempre bem gelado. De quebra ainda conheci o simpático Bruno, que comanda o Botero, e reencontrei a querida Luiza do Da Gema, com sua equipe!

Se você não conhece o Sat’s, vá, experimente o petisco e de quebra prove o galeto com molho de limão e o pão de alho que são imperdíveis. Em breve irei escrever com calma sobre este bar que gosto muito.

Linguiça de bacalhau, pimentões, cebola, azeitona e ovos de codorna.. Criatividade e sabor no Sat's..

Linguiça de bacalhau, pimentões, cebola, azeitona e ovos de codorna.. Criatividade e sabor no Sat’s..

A jornada continua e sempre será contada por aqui até o dia em que embarcar! Os endereços e horários de funcionamento das casas que visitei e dos demais participantes você confere lá no site oficial do Comida di Buteco.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Comida di Buteco 2013: as cinco primeiras visitas. Quem roubou a cena foi o estreante Botero!

Começou na última sexta-feira dia 12 a mais nova edição do Comida di Buteco. Com a Heineken como nova patrocinadora nas ampolas, 30 bares espalhados pela cidade criaram petiscos tendo como obrigação o uso de linguiça e/ou aipim. No domingo iniciei a minha peregrinação, que será curta este ano já que na sexta-feira embarco de férias para a Europa onde farei outro tipo de circuito! Mas até lá pretendo ir a mais alguns lugares. Vão aqui então as minhas primeiras impressões e os pitacos.

Vamos começar por quem roubou a cena. O estreante Botero, que tem movimentado o tradicional Mercadinho São José em Laranjeiras, serve uma porção de seis mini bruschettas criativa e extremamente saborosa (R$ 22). O primeiro par é a clássica de tomate com um ovo de codorna frito, farelo de paio e um toque de tomilho. Para ficar impecável mesmo só se a gema estivesse mole. A segunda não teve tanto brilho, mas também é gostosa: base de tomate e rodelas de linguiça. A última estava perfeita: costela desfiada bem molhadinha e suculenta com um creme de aipim por cima. O melhor do dia. Para beber Brahma Extra (foi mal Heineken).

O campeão do dia.. Bruschettas impecáveis do Botero que ainda conta com um cardápio excelente!

O campeão do dia.. Bruschettas impecáveis do Botero que ainda conta com um cardápio excelente!

De lá fomos para o Baixo Gago provar a Sinhá Moça, duas empadas com massa de aipim recheadas com linguiça acompanhadas por uma bela geleia de pimenta (R$ 19,90). Achei a massa um pouco pesada, apesar de saborosa. A descrição do petisco dizia que o recheio era cremoso, mas no nosso caso veio apenas linguiça picada. Avisamos ao muito atencioso garçom Thiago que providenciou em um potinho o creme que não veio dentro e que fez toda a diferença amenizando o tom picante do embutido e trazendo um toque de gorgonzola. Para beber Serramalte (foi mal de novo Heineken!).

Empadas de aipim com recheio de linguiça e bela geleia de pimenta..

Empadas de aipim com recheio de linguiça e bela geleia de pimenta..

Deixamos Laranjeiras e fomos para o Humaitá rumo ao Palhinha. Boa surpresa. Trata-se de uma porção de linguiça de javali flambada em cachaça envelhecida, cebola roxa e pimenta dedo de moça (R$ 29,90). A linguiça era normal, mas o acebolado estava muito saboroso e a pimenta deu um toque fundamental. A cachaça estava bem presente e aromática. Compõe ainda o petisco uma porção de grissinis de aipim com quijo que estavam saborosos, mas zero crocantes o que prejudicou. O molho de maionese dispensável está lá ao lado de geleia de pimentão. Uma Brahma para dentro (opa Heineken!).

Linguiça de javali com acebolado saboroso e grissinis de aipim.. Petisco do Palhinha foi bem...

Linguiça de javali com acebolado saboroso e grissinis de aipim.. Petisco do Palhinha foi bem…

Vamos então subir o morro. Na pacificada Ladeira dos Tabajaras, o estreante Bar do Bahiano serve bolinho de aipim com recheio de camarão (R$ 15). Como vocês já sabem, não como camarão por alergia. Mas provei a saborosa massa que é feita na acanhada cozinha do bar que fica na movimentada ladeira. Estava bem leve o salgado e o molho desta vez não foi dispensável e estava gostoso. Além disso, a visita vale pela simpatia dos funcionários e em especial do Bahiano. O orgulho que ele sente de estar no concurso foi de arrepiar. Voltarei para provar as outras opções do cardápio. Bebi Brahma outra vez!

Simples, mas eficiente, os croquetes de camarão com massa de aipim do Bahiano.. Molho saboroso..

Simples, mas eficiente, os croquetes de camarão com massa de aipim do Bahiano.. Molho saboroso..

Finalizamos o domingo subindo mais ladeiras. Do Tabajaras para o Chapéu Mangueira, no Leme, onde finalmente conheci o Bar do David, que já abocanhou um terceiro lugar e um vice campeonato. Este ano atacam de nacos de linguiça empanados em farinha de especiarias aos dois molhos acompanhados de chips de aipim (R$ 22,90). Os chips estavam bem gostosos. Um dos molhos era uma espécie de chimichurri muito saboroso. Já o outro não manteve o nível e poderia ficar de lado. As linguiças eram gostosas, mas não senti bem as especiarias. Ou seja, petisco de altos e baixos, mas que você acaba relevando também em função da simpatia do David. E lá bebemos a primeira Heineken do domingo!

Nacos de linguiça empanadas, chips de aipim e dois molhos para acompanhar.. Petisco do David..

Nacos de linguiça empanadas, chips de aipim e dois molhos para acompanhar.. Petisco do David..

Nesta semana pretendo dar as caras pela Zona Norte e conhecer o que for possível antes da viagem. Os endereços e horários de funcionamento das casas que visitei e dos demais participantes você confere lá no site oficial do Comida di Buteco.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Santa Satisfação: boa comida, bons preços e fonte de inspiração para meus sonhos!

Sonho em ter um restaurante. Um dia quem sabe? Vai que ganho na loteria e tiro o sonho do papel? No meu mundo, gostaria de uma casa pequena, com um cardápio fixo enxuto e pratos especiais que mudariam diariamente. Nessa linha, comentei semana passada sobre o Cozinha Cotidiana, que faz comida caseira que muda sempre e a preços acessíveis. Algo também próximo do que sonho é o Santa Satisfação. A casa do Leblon, que conta com filial em Copacabana, funciona exatamente desta maneira, possui bons preços e uma cozinha muito correta.

A casa tem fachada discreta e o quadro negro com as informações do dia tem todo um charme..

A casa tem fachada discreta e o quadro negro com as informações do dia tem todo um charme..

Estive lá duas vezes para este post. No primeiro ao lado da comadre Julia Ferrari. No segundo ao lado da blogueira e amiga Nathalia Tosto, ou Coisas que Amamos (vão lá conhecer, meninas), e da Juca, uma foodie como eu que lançou nesta semana o seu blog: O que tem na Geladeira. As duas visitas foram na filial do Leblon, pequena, de decoração bonita e aconchegante.

Mesas de madeira, vitrines expondo produtos e mais quadro negro.. Decoração agradável no Santa..

Mesas de madeira, vitrines expondo produtos e mais quadro negro.. Decoração agradável no Santa..

Logo na entrada, o quadro negro expõe as opções do dia. Você vai sempre encontrar uma massa e uma salada que podem ser servidas em porção inteira ou apenas metade (perfeito para quem come pouco), sopa, quiches e geralmente um prato de carne ou de peixe que conta sempre com uma bossa. No menu fixo, saladas, massas e sanduíches.

Tenho o costume de começar lá com uma empada, é um vício. A de carne seca neste dia não estava muito especial (R$ 5). O recheio, geralmente bem molhadinho, veio seco. Pelo menos estava saboroso.

Massa boa, mas recheio um pouco seco... Empadinha de carne seca..

Massa boa, mas recheio um pouco seco… Empadinha de carne seca..

Não citei acima para falar aqui. Outra parte do menu fixo são as omeletes. De sabores variados, são muito bem feitas e acompanham salada verde servida em cesta de parmesão (que você aprendeu a fazer aqui). Pedi a de salmão e queijo e estava deliciosa, bem molhadinha e equilibrada (R$ 29,90). A salada vem com um molhinho de mostarda, mel e laranja bem gostosinho.

A omelete de salmão veio no ponto certo... O molhinho que acompanha a salada também estava equilibrado..

A omelete de salmão veio no ponto certo… O molhinho que acompanha a salada também estava equilibrado..

Julia pediu a quiche do dia, na ocasião era alho poró, com a mesma salada. Também saborosa e com boa massa (R$ 24,90).

Quiche tambpem com salada e com o mesmo molho estava saborosa e com massa bem gostosa..

Quiche tambpem com salada e com o mesmo molho estava saborosa e com massa bem gostosa..

Na segunda visita, fui em uma massa do dia com molho cremoso de limão siciliano e cubos de frango que substituíram os camarões da pedida original (sou alérgico). Molho um pouco pesado no creme, mas ainda assim ácido na medida certa (R$ 27,90).

O molho de limão siciliano estava um pouquinho pesado, mas com sabor perfeito de limão..

O molho de limão siciliano estava um pouquinho pesado, mas com sabor perfeito de limão..

Juca foi em uma salada verde com camarões grelhados e figo assado com brie (R$ 27,90). Se o crustáceo veio abundante, o brie mal foi notado recheando a única unidade do figo assado. Mas a combinação geral estava boa – provei sem o camarão!

Salada equilibrada.. Amêndoa conferiu textura.. Mas vir apenas uma unidade do figo acabou quebrando...

Salada equilibrada.. Amêndoa conferiu textura.. Mas vir apenas uma unidade do figo acabou quebrando…

Nathalia escolheu a carne do dia: mignon com legumes cozidos e risoto de cogumelos frescos (R$ 43,90). O prato é muito bem servido, a carne estava macia e no ponto certo assim como os cogumelos do risoto. O molho de vinho tinto conferia bom sabor ao prato também. O único porém: faltou tempero em geral, principalmente ao risoto que pedia sal.

Mignon com vinho, legumes e risoto de cogumelos.. O único pecado foi a falta de sal nos componentes..

Mignon com vinho, legumes e risoto de cogumelos.. O único pecado foi a falta de sal nos componentes..

Como disse, sou um fã do local. Percalços acontecem nas melhores casas, mas no geral o saldo é sempre positivo para quem deseja uma refeição rápida, bem feita e com bons preços. O Santa Satisfação é definitivamente uma fonte de inspiração para meus delírios.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Santa Satisfação
Leblon
– Avenida Ataulfo de Paiva, 1335-A – Tel: 2529-2063
Horário: Segunda a quinta, das 11h à meia-noite; sexta e sábado, das 11h à 1h; domingo, das 10h às 23h

Copacabana
– Rua Santa Clara, 36-C – Tel: 2255-9349
Horário: Segunda a sábado, das 8h30m às 23h

Linguiça agridoce: mel e shoyu para formar uma entrada simples e de sucesso absoluto!

Antes de qualquer coisa o pedido de desculpas pelo sumiço.. Estive em Santiago para o Lollapalooza.. Uma experiência inesquecível onde pude curtir mais uma vez o Pearl Jam ao vivo.. E, é claro, beber grandes vinhos que em breve contarei por aqui.. Agora deixemos o rock de lado e voltemos à programação normal com uma receita de sucesso!

Já virou uma tradição. Sempre que recebo alguém na minha casa ou até mesmo quando vou em alguma reunião na casa dos amigos logo vem a pergunta: “vai ter a linguicinha com mel e shoyu?”. E eu não consigo ignorar. Primeiro porque a receita de hoje é extremamente gostosa. Segundo porque é simplesmente muito fácil de fazer. E de fato é perfeita para abrir os trabalhos seja com uma cerveja gelada ou com um bom vinho tinto. Então vamos aprender! Ah! Vale ressaltar que a base dela aprendi no livro de Nigella Lawson, que fazia de outra maneira.

Imbatível.. A linguiça fica assada, o shoyu reduz e misturado ao mel vira um molho agridoce e grudento!

Imbatível.. A linguiça fica assada, o shoyu reduz e misturado ao mel vira um molho agridoce e grudento!

São apenas três ingredientes: linguiça calabresa fina (aquela mesmo que é vendida a granel na parte dos salgados do mercado), mel e shoyu. Acabou. As quantidades eu geralmente coloco de olho, mas resolvi medir para vocês terem uma noção. Usei mais ou menos um quilo de linguiça. Para o molho foram cinco colheres de sopa cheias de mel. O shoyu foram dez colheres também de sopa.

Mais simples impossível: apenas três ingredientes, mel, shoyu e linguiça, formam uma bela entrada..

Mais simples impossível: apenas três ingredientes, mel, shoyu e linguiça, formam uma bela entrada..

Primeiro passo é tirar a pele das linguiças. Não é obrigatório, mas fica bem melhor. O molho gruda com mais facilidade. Em seguida corte em rodelas não muito grandes, afinal de contas é um aperitivo. Nesse post, algo inédito: as mãos da Luninha aparecem. Sim, a receita é tão simples que ela foi minha assistente.

Mãos da Luna pela primeira vez.. Tirando a pele das linguiças para que o molho fique mais grudado..

Mãos da Luna pela primeira vez.. Tirando a pele das linguiças para que o molho fique mais grudado..

Vamos para o molho. Coloque o mel e o shoyu em um copo, tampe e agite bem até eles virarem um molho só. A proporção é mais ou menos a que eu citei em cima, mas se você preferir mais doce, coloque mais mel. Se quer algo mais líquido e salgadinho, entre com mais shoyu.

Coloque os ingredientes em um copo.. Tampe e misture bem até ficar uniforme..

Coloque os ingredientes em um copo.. Tampe e misture bem até ficar uniforme..

Depois de misturar ele fica assim.. Se achar pouco é só colocar mais uma parte de cada ingrediente..

Depois de misturar ele fica assim.. Se achar pouco é só colocar mais uma parte de cada ingrediente..

Coloque as linguiças em uma travessa, despeje o molho em cima e forno. Acabou. Ah! O forno alto, cerca de 200 graus e pré-aquecido. Ela vai ficar lá dentro mais ou menos 20 minutos. Fica de olho.

Linguiças cortadas e molho espalhado.. Feito isso é só colocar no forno a 200 graus mais ou menos..

Linguiças cortadas e molho espalhado.. Feito isso é só colocar no forno a 200 graus mais ou menos..

Quando elas estiverem assadas é só tirar. Quando esfriar um pouquinho, o molho fica bem grudento dando um toque docinho para a linguiça sempre salgadinha. É delicioso e tiro certo. O sucesso é tão garantido que depois de tentar quem vai escutar a frase lá de cima vai ser você mesmo!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Cozinha Cotidiana: clima de sítio, comida caseira e um pudim sensacional ali no Humaitá!

Moro na Fonte da Saudade e há muito tempo estava querendo conhecer o Cozinha Cotidiana. Sempre que pegava a Rua Humaitá, olhava de longe a fachada que passa a impressão de um lugar que serve comida caseira e bem feita. Pois na última semana finalmente matei a minha curiosidade. Ao lado do amigo Chico Torcedor, fui almoçar e constatar que lá são servidos pratos simples, mas feitos com carinho e o melhor, a preços muito acessíveis. E de quebra você pode comer de sobremesa um pudim impecável!

A fachada é discreta e se você passa com pressa pode nem perceber.. Mas ali se come muito bem..

A fachada é discreta e se você passa com pressa pode nem perceber.. Mas ali se come muito bem..

O charme já começa do lado de fora, quando os pratos, que mudam diariamente, ficam expostos em um quadro negro. Dentro, o pequeno e aconchegante salão conta com decoração que em certos momentos chega a remeter uma cozinha de sítio. O balcão ainda conta com uma vitrine expondo os doces apetitosos.

Já deu para perceber que sou fã dos quadros.. Isso traz charme e remete aos bistrôs...

Já deu para perceber que sou fã dos quadros.. Isso traz charme e remete aos bistrôs…

Com poucas mesas, o salão é decorado como uma casa de campo..

Com poucas mesas, o salão é decorado como uma casa de campo..

Como disse, o cardápio muda todos os dias e conta com apenas alguns poucos itens fixos como acompanhamentos e saladas. A cozinha é simples. Opções como frango ensopado, galeto, carne assada, bife rolé, escondidinho… Chico resolveu ir no picadinho com arroz, feijão, purê e salada. A carne estava boa e bem temperada. O feijão muito saboroso e o arroz soltinho. O ponto negativo foi o purê de batatas. A textura não estava boa e faltava um pouco mais de sabor.

Feijão gostoso, picadinho idem e saladinha de palmito.. Quem derrapou aí foi o purê..

Feijão gostoso, picadinho idem e saladinha de palmito.. Quem derrapou aí foi o purê..

Eu resolvi ir no peito desfiado, chamado de Desmanchadinho. A carne de segunda estava muito bem cozida e saborosa. Também acompanhada por arroz e feijão, mas meu prato incluiu ainda um creme de milho bem feito e docinho na medida certa e uma farofa criativa de jiló e couve. O jiló fez as vezes de ovo dando textura e obviamente o sabor amargo e característico. Os pratos todos variam entre R$ 22 e R$ 25.

Peito bovino bem cozido e desfiado.. Mas o destaque aí foi a farofa de jiló com couve.. Deliciosa e diferente..

Peito bovino bem cozido e desfiado.. Mas o destaque aí foi a farofa de jiló com couve.. Deliciosa e diferente..

A sobremesa foi um capítulo a parte. O pudim eu já citei lá em cima. Delicioso (R$ 6,90 a fatia). Sente a fotinho aí (aliás, perdão pelas fotos com pouca luz).

Pudim ESPETACULAR.. Pode não ser correto, mas amo quando ele não vem lisinho.. Isso é pudim caseiro!

Pudim ESPETACULAR.. Pode não ser correto, mas amo quando ele não vem lisinho.. Isso é pudim caseiro!

Chico foi em bolo quente de chocolate com doce de leite (R$ 8,90). Sabor marcante de chocolate e doce de leite com gostinho de mineiro.

Generosa fatia de bolo quente de chocolate com doce de leite.. Sobremesa com ar 100% caseiro..

Generosa fatia de bolo quente de chocolate com doce de leite.. Sobremesa com ar 100% caseiro..

Para quem mora ou trabalha por ali a dica é boa. Vale a pena ir até lá e comer um almoço simples, bem feito e saboroso. Ah! E tem de ser almoço e durante a semana, já que a casa funciona apenas de segunda a sexta das 8h às 16h. E se não quiser almoçar, ao menos vá conhecer o pudim!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Cozinha Cotidiana
Rua Humaitá, 261 – Loja C – Tel: (21) 2537-0033