Arquivo mensal: março 2013

Bons Drink parte II. Outra dica fácil, refrescante e imperdível que roubei do Bar do Moa!

Até outro dia o terreno era completamente inédito para mim. Não só na preparação como também na degustação. Não sou muito de drinks. Sou um cara de vinhos e cervejas. Mas após aprender uma primeira receita na casa do amigo Luciano, que você pode lembrar aquia segunda já ficou mais fácil. Esta é mais uma dica que foi roubada do também amigo Moacyr Luz lá no “Bar do Moa”. Então repasso para vocês um drink muito simples de ser feito, extremamente refrescante e perfeito para abrir os trabalhos já neste feriado!

Encha o copo de gelo para manter seu drink bem refrescante, misture bem e pronto! Simples!

Encha o copo de gelo para manter seu drink bem refrescante, misture bem e pronto! Simples!

Você vai precisar de espumante, aperol (bebida tranquila de encontrar e que custa em média R$ 20 a garrafa), água tônica, fatias de laranja e gelo. Mais nada. As quantidades foram de olho, mas são duas partes de espumante para uma de tônica e uma de aperol. Usamos duas fatias de laranja em cada taça.

Tudo que você precisa para esse drink simples, refrescante e delicioso..

Tudo que você precisa para esse drink simples, refrescante e delicioso..

O preparo é extremamente simples. Entre com o espumante de preferência bem gelado. Em seguida coloque a dose de aperol, as laranjas, a tônica e o gelo. Misture bem e ponto final. É a hora de beber! Fácil, não? Use as fotos abaixo para se guiar, mas não tem nenhum erro!

Em taça de vinho branco, entre com uma dose grande de espumante bem gelado..

Em taça de vinho branco, entre com uma dose grande de espumante bem gelado..

Em seguida entre com uma dose de Aperol, um pouco menor do que a do espumante..

Em seguida entre com uma dose de Aperol, um pouco menor do que a do espumante..

Complete com a tônica, que compõe muito bem..

Entre com as fatias de laranja e complete com a tônica, que compõe muito bem..

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Atum em crosta de gergelim brulée: a primeira das muitas receitas roubadas do Bar do Moa!

Uma tarde na varanda do casal amigo Moacyr Luz e Marluci Martins rende muita coisa: risadas, histórias, samba e o principal, comida e bebida de muita qualidade. Cantor e compositor, Moa tem também outra faceta: chef. Da cozinha do “Bar do Moa” saem iguarias criativas e sempre saborosas. No último sábado cheguei por lá cedo e roubei algumas das receitas que irei compartilhar com vocês ao longo das próximas semanas. Vou começar com uma das mais simples, mas de impacto visual se você tiver o equipamento para finalizar na mesa: Atum em crosta de gergelim brulée.

A semente fica bem torradinha e faz contraste com o interior ainda cru e macio do atum.. Espetacular!

A semente fica bem torradinha e faz contraste com o interior ainda cru e macio do atum.. Espetacular!

Os ingredientes são simples e aqui vai do gosto de cada um as quantidades: filés de atum fresco, sementes de gergelim branca e preta, azeite, flor de sal e pimenta do reino. Basta regar o peixe com o azeite, grudar os demais ingredientes e pronto.

O tempero é a gosto.. Não há quantidade certa neste prato... O importante é ter um atum bem fresco..

O tempero é a gosto.. Não há quantidade certa neste prato… O importante é ter um atum bem fresco..

Dois belos filés de atum com azeite, flor de sal e gergelim preto e branco.. Não precisa mais de nada..

Dois belos filés de atum com azeite, flor de sal e gergelim preto e branco.. Não precisa mais de nada..

Agora vem a grande graça deste simples prato: o brulée. E para conseguir este efeito você precisa de um maçarico. A finalização acontece na mesa diante dos convidados. A chama concentrada quando entra em contato com o azeite faz um espetáculo incrível. E o queimadinho do gergelim proporcionado pelo fogo faz contraste perfeito, inclusive de textura, com o peixe ainda cru no meio.

A finalização ocorre na mesa com um maçarico.. É importante ter cuidado por causa da gordura do azeite!

A finalização ocorre na mesa com um maçarico.. É importante ter cuidado por causa da gordura do azeite!

É claro que nem todo mundo tem um maçarico em casa. Então, para reproduzir esta receita basta pegar uma frigideira BEM quente e selar o seu atum dos dois lados sempre tomando cuidado para deixá-lo mal passado. Funciona também. A grande diferença é que você perde o gostinho do brulée e também o show para seus convidados.

A chama vira um espetáculo de entretenimento para os convidados.. E o gosto do torradinho fica delicioso!

A chama vira um espetáculo de entretenimento para os convidados.. E o gosto do torradinho fica delicioso!

Caso não tenha o maçarico, sele o atum em uma frigideira bem quente.. O importante é ficar cru no meio..

Caso não tenha o maçarico, sele o atum em uma frigideira bem quente.. O importante é ficar cru no meio..

Como disse lá em cima, esta é apenas uma das receitas que colocarei por aqui. Ainda vamos ter muitas novidades do Chef Moa. Essa vale e muito a tentativa. E para quem quiser ouvir uma boa música de qualidade, enquanto o Bar ainda não abre para o público geral com direito a canja do dono, Moacyr Luz se junta com a rapaziada do Samba do Trabalhador para comandar uma roda de respeito todas as segundas no Clube Renascença, no Andaraí, a partir das 16h. Se você não conhece tem de ir.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Fígado de galinha assado: esquece o preconceito e faça essa espécie de patê rústico!

Sei que provavelmente não será meu post de maior sucesso. É comum ver todo mundo torcer o nariz quando se fala em fígado. Mas me sinto na obrigação de passar para vocês esta receita. Quem não curte tem de experimentar. Semana passada, o amigo Moacyr Luz colocou em seu Instagram uma foto deste prato de preparo extremamente simples, mas muito saboroso. Fica tão macio que a ideia é você apreciar quase como um patê. E aí vem a virada: patê todo mundo curte, por que fígado não se são quase a mesma coisa? Então dê uma chance, leia, aprenda e faça em casa!

O fígado em um pedaço de pão fazendo as vias de patê.. Detalhe para a flor de sal que entra com textura!

O fígado em um pedaço de pão fazendo as vias de patê.. Detalhe para a flor de sal que entra com textura!

Você vai precisar do fígado de galinha já limpo. Tempere ele com flor de sal (é o ideal), pimenta do reino, um pouquinho de alho picado, um pedacinho pequeno de pimenta dedo de moça e uns galhinhos de tomilho. Mais nada.

Tudo separado.. Os ingredientes serão misturados nesta mesma vasilha onde está o fígado.. tudo em pouca quantidade... A estrela é o foie!

Tudo separado.. Os ingredientes serão misturados nesta mesma vasilha onde está o fígado.. tudo em pouca quantidade… A estrela é o foie!

Após misturar tudo em uma vasilha, coloque os fígados em uma travessa e ligue o forno bem alto. Se o seu tiver a função grill, na qual o calor vem só de cima, melhor ainda. Coloque no forno e deixe por no máximo dez minutos. A ideia é tirá-lo ainda bem macio a ponto de você poder espalhar em um bom pedaço de pão (lembra da história do patê?). É isso. Mais nada! Se não tiver a função grill, coloque o forno bem alto e fique monitorando. Como disse, a ideia não é cozinhar demais.

Após temperar, coloque os fígados em uma travessa e dali direto para o forno bem quente na função grill..

Após temperar, coloque os fígados em uma travessa e dali direto para o forno bem quente na função grill..

Farei agora rapidamente um mea culpa. Peço desculpa pela foto não ter ficado tão boa. E o curioso que foi a foto do Moa que me atraiu e me fez reproduzir a receita. Estava fazendo o fígado ao mesmo tempo que um risoto, que vai estar semana que vem aqui no blog. Fiquei tão encucado que resolvi fazer outro nesta sexta mesmo e tirei a foto que abriu o post. Ficou melhor!

Prontinho.. Desculpa a foto ruim, mas façam em casa.. Ficou delicioso, quase um patê!

Prontinho.. Desculpa a foto ruim, mas façam em casa.. Ficou delicioso, quase um patê!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Cabidinho: salvando madrugadas com chope, pastéis e sanduíches.. Mas fique por aí!

O estilo de vida boêmio já fez parte da minha vida com muita intensidade. Quantas vezes os bares foram fechados e você ainda tinha vontade de beber aquela saideira? E meu refúgio nestes momentos é sempre o Cabidinho. O local fica aberto 24h todos os dias inclusive com a cozinha saindo petiscos e até pratos. Confesso que nunca fiz uma refeição lá. Não é o lugar que vai me tirar de casa para comer qualquer coisa. Mas no básico funciona bem em qualquer momento.

Balcão mostra ingredientes dos sanduíches, cachaças e mais alguns produtos.. Clima de bar..

Balcão mostra ingredientes dos sanduíches, cachaças e mais alguns produtos.. Clima de bar..

A última visita, por exemplo, foi no domingo de muita chuva (por isso não fiz foto da fachada, simplesmente não tinha como). Após muito trabalho na vitória do Fluminense sobre o Audax, cheguei na casa depois da meia noite com fome e sede. A solução, mais uma vez, foi o velho Cabidinho. A decoração não foge muito dos padrões dos bares. Mas confesso que não curto a pintura da parede que leva para o segundo andar não.

A parede no caminho para o segundo andar conta com uma pintura que não é das mais bonitas...

A parede no caminho para o segundo andar conta com uma pintura que não é das mais bonitas…

A variedade de pastéis é grande e eles são sempre fritos na hora. Dos básicos de queijo e carne até elaborados como brie com damasco ou parma, carne de sol com queijo coalho e camarão com alho poró e catupiry. Os preços ficam entre R$ 4 e R$6. Fiquei no de queijo prato, o mesmo dos sanduíches. Ele não está no cardápio, mas é só pedir. Veio espetacular. Crocante no ponto certo e com o queijo muito derretido. Sente só que beleza.

Pastel de queijo.. Este não consta no cardápio, mas é só pedir.. Veio perfeito...

Pastel de queijo.. Este não consta no cardápio, mas é só pedir.. Veio perfeito…

Para beber chope Brahma. O preço é até um pouco alto em comparação a alguns bares que servem a mesma bebida em Botafogo (R$ 5,50), mas vamos relaxar. Os caras trabalham a madruga inteira! E a tulipa está sempre gelada!

Chope Brahma bem tirado.. Repare como a base do copo está congelada, o que mantém a temperatura!

Chope Brahma bem tirado.. Repare como a base do copo está congelada, o que mantém a temperatura!

Como disse, não saio do básico. E a outra principal opção da casa são os sanduíches. Estão lá tradicionais hambúrgueres, mas fico nos clássicos. Ah! E sempre rola promoção. Lombinho, pernil e carne assada com abacaxi (opcional) e fritas estavam por apenas R$ 13. O queijo adicional custa R$ 3. E são muito bem recheados.

Fui no de carne assada. Estava um pouco seca, mas saborosa. E o queijo trazia uma umidade ao sanduíche que conta com um pão saboroso. As opções são muitas também. Filé mignon, rosbife, salame, calabresa, copa, parma, queijo do reino… E, como disse, são bem corretos.

Sanduíche muito bem recheado com queijo muito gostoso e pão na medida.. Dispensei o abacaxi..

Sanduíche muito bem recheado com queijo muito gostoso e pão na medida.. Dispensei o abacaxi..

O bar oferece também empadas abertas no estilo das vendidas na rede Belmonte. Entre opções coletivas estão lá gurjões, que já provei e não curti tanto, bolinhos, filé aperitivo, pizzas, carne seca com aipim, etc… Ou seja, petiscos tipicos de um bar sem muita frescura. Me disseram uma vez que dá para comer um bom bacalhau por lá. Não vou me arriscar mesmo, mas eles estão lá no cardápio. Prefiro ficar na zona de conforto. Seja no meio da tarde ou depois das 5h ouvindo Nelson Gonçalves cantar “A Volta do Boêmio”.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Boteco Cabidinho

– Rua Paulo Barreto, 65, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ, (21) 2539-8737 / (21) 2527-2942
Diariamente, 24h

Bazzar: altos e baixos em minha estreia na casa. Volta agora será para conhecer o Bubble Bar..

Sempre tive curiosidade de ir ao Bazzar. Passava ali pela Barão da Torre e olhava com curiosidade a bonita fachada e a charmosa decoração da casa. Além disso, a notícia de uma boa cozinha animava. No fim de semana matei minha a vontade. E confesso que, apesar da boa companhia e das risadas, o principal acabou marcado pela irregularidade. E em uma casa com preços não tão acessíveis assim, esperava algo próximo do impecável.

Antes de chegarmos lá, um panorama rápido da bem decorada casa. O bar logo na entrada chama atenção. Fiquei com vontade de sentar lá e tomar um espumante, já que agora eles investiram em uma bela carta e um cardápio próprio criando um Bubble Bar. A carta conta com rótulos nacionais mais acessíveis e estrelas do mundo como a badalada Krug e a clássica Dom Pérignon.

O bar envidraçado fica na entrada do bem decorado salão.. Fiquei com vontade de voltar e ficar por ali..

O bar envidraçado fica na entrada do bem decorado salão.. Fiquei com vontade de voltar e ficar por ali..

Mas não era a proposta da noite, e fomos para uma mesa perto da adega de vidro elegante. O couvert é simples: pães variados, azeite clássico, azeite aromatizado com laranja e uma manteiga com flor de sal. Seria válido caso os pães, que são repostos de maneira constante, estivessem frescos e quentes. Não era o caso. A focaccia clássica e a de limão deram a impressão de ter sido feitas há muito tempo. E o azeite de laranja estava forte demais. De bom a manteiga deliciosa e as torradinhas com alecrim. O preço? R$ 11,90 por pessoa.

Manteiga deliciosa assim como a torradinha... O resto decepcionou no simples couvert da casa..

Manteiga deliciosa assim como a torradinha… O resto decepcionou no simples couvert da casa..

Não estava com muita fome então escolhi uma das opções de entrada para ser meu prato principal. Muitas me chamaram atenção, mas escolhi o carpaccio de pato com queijo de cabra e tomilho (R$ 38,20). A expectativa existia já que muito li sobre o prato, mas acabou sendo uma decepção. O tomilho simplesmente não estava lá e certamente traria frescor e equilíbrio. O queijo se sobrepôs e mascarou o sabor do pato. Uma pena.

Faltou capricho na apresentação e o tomilho do cardápio.. O queijo sobressaiu e mascarou o pato...

Faltou capricho na apresentação e o tomilho do cardápio.. O queijo sobressaiu e mascarou o pato…

Mas não foi apenas eu quem ficou na entrada. A sopa cremosa de milho com queijo de cabra e cogumelos acompanhada de pão italiano com ervas também virou refeição principal (R$ 26,30). Estava saborosa, bem doce e no ponto certo. Mas há de se ressaltar que os acompanhamentos são detalhes. Quase uma decoração.

Como disse, a saborosa sopa contava com dois elementos chamativos quase como decoração.. Erro..

Como disse, a saborosa sopa contava com dois elementos chamativos quase como decoração.. 

No capítulo dos pratos principais, não provei o filé mignon com molho agridoce de damasco. Ele veio acompanhado de arroz cremoso de queijo brie. Provei o acompanhamento e sinceramente não achei nada demais. A carne foi elogiada. Este prato tinha opção de ser pedido em um tamanho menor por R$ 39,70.

A meia porção do filé com damasco e arros cremoso de Brie...

A meia porção do filé com damasco e arros cremoso de Brie…

A estrela da noite, porém, foi um suculento Prime Rib com palmito pupunha gratinado e alho negro (R$ 74,70). A carne não estava das mais macias, mas compensou em sabor. E veio no ponto ideal de cozimento. Realmente muito boa. Só que dos deuses estava o palmito. A textura estava boa, o molho saboroso e o alho negro coroou o prato. Um espetáculo. Ah! O vinho da noite foi um Callia Shiraz. bom argentino por R$ 89.

O Prime Rib não estava dos mais macios, mas compensou em sabor e veio no ponto certo.. O palmito estava perfeito!

O Prime Rib não estava dos mais macios, mas compensou em sabor e veio no ponto certo.. O palmito estava perfeito!

Pedimos ainda uma sobremesa: crepe de nutella com sorvete de baunilha (R$ 15,30). Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa. Viciado em nutella como sou, colocaria mais um pouquinho. Mas aqui não tem como errar.

O crepe veio no ponto certo.. Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa.. Não tem como errar aqui!

O crepe veio no ponto certo.. Nada inesquecível, mas uma boa sobremesa.. Não tem como errar aqui!

No geral, a noite teve mais baixos do que altos. Esperava mais de um lugar badalado e com preços acima da média. Mas pretendo voltar. De repente foi um dia ruim apenas como todos os lugares podem ter. Os acertos deixaram animados e com a esperança de que uma segunda oportunidade será melhor de repente com outras escolhas. E o Bubble Bar me arrebatou. Quero sentar por lá.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Bazzar

– Rua Barão da Torre – 538, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ, (21) 3202-2884
Diariamente, do meio-dia à 1h.

Tomates assados: fácil, rápido, delicioso e com a grife da chef Roberta Sudbrack

Outro dia no facebook da já querida Cris Corsso, que tive o prazer de conhecer pessoalmente na aula da chef Roberta Sudbrack (lembre aqui), vi uma foto de tomatinhos assados que me prendeu. Curioso, pedi a receita e ela disse que aprendeu justamente com a Roberta. Ou seja, sinônimo de coisa boa. Tudo anotado, fui para a cozinha e garanto: é simples, fácil e MARAVILHOSO. Os tomatinhos saem docinhos, temperados e acompanharam perfeitamente meu salmão grelhado e minha salada. Então anotem aí e façam em casa.

Coloquei os tomates por cima de uma salada verde e comi com um belo salmão grelhado e cru por dentro!

Coloquei os tomates por cima de uma salada verde e comi com um belo salmão grelhado e cru por dentro!

Você vai precisar de duas caixas de tomate cereja, o ideal é usar aquele sweet grape que é mais docinho, dentes de alho com casca (a quantidade aqui é aleatória, eu usei 20), ervas frescas (eu usei manjericão, alecrim e tomilho), sal, pimenta do reino, uma pitada de açúcar e bastante azeite (usei 200 ml mais ou menos até chegar na metade dos tomates). Ah! Para variar, piquei uma dedo de moça pequena sem sementes.

Bancada com os ingredientes.. Tudo separado e limpo para você começar a sua receita...

Bancada com os ingredientes.. Tudo separado e limpo para você começar a sua receita…

Coloque tudo em uma travessa, misture bem e forno! Mais simples impossível, não? A temperatura tem de estar bem alta. Deixei eles por 20 minutos no forno a 260 graus, ou seja, muito quente. Em seguida, baixei para 140 graus e deixei mais 10 minutos. Na etapa inicial o azeite chega a ferver.

Não há muito trabalho.. Depois de separar, basta colocar tudo em uma travesa e cobrir com o azeite...

Não há muito trabalho.. Depois de separar, basta colocar tudo em uma travesa e cobrir com o azeite…

Quando você tirar, os tomatinhos terão estourado e seu suco se misturado aos demais temperos. Uma coisa de maluco! Usei um fio desse azeite mesmo para grelhar o salmão que ficou do jeito que eu gosto: pele torradinha e interior bem mal passado. Mas eles cabem tranquilamente em cima de uma boa massa ou como um antepasto até mesmo ao lado de uma burrata. Perfeito, não? Vale muito fazer!

Esse é o resultado final.. Tomates assados, azeite saboroso e alho docinho saindo da casca...

Esse é o resultado final.. Tomates assados, azeite saboroso e alho docinho saindo da casca…

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Antepasto mexicano: Pico de Gallo simples e fácil, e a Guacamole da Dona Cavalierona

Família pronta para almoçar, mas te de rolar sempre aquela entradinha enquanto a picanha e as batatas ao murro estão assando (em breve a receita aqui!). Minha mãe, a Dona Cavalierona que vocês já conhecem, tinha um abacate e resolver que faria uma Guacamole. Então tive a ideia de complementar o petisco fazendo um Pico de Gallo, ou uma salsa de tomate mexicana puxada na pimenta. Tudo isso com nachos crocantes e a tarde quase virou um mexicano completo.

Molhos prontos, a entradinha deixou a casa no espírito da cozinha mexicana.. Só faltou Tequila e Michelada!

Molhos prontos, a entradinha deixou a casa no espírito da cozinha mexicana.. Só faltou Tequila e Michelada!

Vamos então ao nosso mais do que simples Pico de Gallo. É tudo muito rápido. Você precisa de dois tomates maduros sem as sementes bem picados, uma cebola roxa pequena bem miúda, um punhado de coentro (a quantidade vai do gosto pessoal), um punhado menor de ciboulete (se não tiver sem problemas), uma pimenta dedo de moça (desta vez coloquei com sementes), gotas de suco de limão (usei uma banda como visto na foto), sal, pimenta do reino e um fiozinho de azeite para unir.

Bancada arrumada com tudo que você precisa para o Pico.. Repare no tamanho do limão ali...

Bancada arrumada com tudo que você precisa para o Pico.. Repare no tamanho do limão ali…

O seu único trabalho nessa receita vai ser picar. As cebolas, como disse ali, bem pequeninas. Os tomates sem semente um pouco maiores. Depois, basta colocar todos os ingredientes em uma tigela, misturar bem e pronto: seu Pico de Gallo pode ir para a mesa. Fica muito bom também ao lado de uma salada verde.

Depois de picados, basta misturar todos os ingredientes em uma tigela.. Repare no tamanho das cebolas e dos tomates.. Diferença fundamental!

Depois de picados, basta misturar todos os ingredientes em uma tigela.. Repare no tamanho das cebolas e dos tomates.. Diferença fundamental!

Vamos então para a Guacamole. Perdoe não ter a foto do mise en place, mas a Dona Cavalierona quis fazer tudo antes das fotos. Rivalidade é coisa séria!!! Mas eu a pressionei e ela liberou a receita. Você precisa de: Um abacate do tipo AVOCADO, um tomate picado sem sementes, uma cebola roxa pequena picada miúda, salsa e coentro picados na quantidade de sua preferência, um dente de alho pequeno bem picado, sal e pimenta do reino, um limão, um fio de azeite e, é claro, a dedo de moça picadinha com as sementes. Para preparar, basta amassar o abacate com um garfo mesmo e juntar todos os ingredientes picadinhos em uma tigela. Misture bem e está pronto!

A Guacamole da Dona Cavalierona... Ela escondeu o preparo, mas desvendamos o mistério!

A Guacamole da Dona Cavalierona… Ela escondeu o preparo, mas desvendamos o mistério!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Praça Xavier de Brito: cavalinhos e bolinho de bacalhau em um domingo carioca…

Alguma coisa está errada se você é carioca, passou sua infância no Rio de Janeiro e não conhece a Praça Xavier de Brito, na Tijuca. De repente pelo apelido você se lembra: a Praça dos Cavalinhos. Não? Então tire um sábado ou um domingo e leve seus filhos, sobrinhos, primos, afilhados ou afins para uma volta de charrete, alguns minutos no pula pula, nos carrinhos elétricos e, principalmente, nos cavalos. Ah! E depois da canseira, lugar bom para repor as energias é o Rei do Bacalhau que fica de frente para a praça.

A fachada do restaurante que dá de frente para a pracinha.. Mesas na varanda, balcão e salão..

A fachada do restaurante que dá de frente para a pracinha.. Mesas na varanda, balcão e salão..

No meu caso, fui de titio com meu irmão e suas duas filhotas: Pequena Maya e Clara Bochechuda. Então, a canseira maior é dele. Eu acompanhei aqui e ali e logo fui para o balcão. Chope Brahma na tulipa muito bem tirado por R$ 5. Para acompanhar, o bolinho de bacalhau frito de maneira constante e sempre quentinho (R$ 4).

Chope Brahma bem tirado e bolinho de bacalhau quentinho.. Perfeito para repor as energias!

Chope Brahma bem tirado e bolinho de bacalhau quentinho.. Perfeito para repor as energias!

Um dos meus lugares favoritos em bares: o balcão.. De lá você acompanha a movimentação da casa..

Um dos meus lugares favoritos em bares: o balcão.. De lá você acompanha a movimentação da casa..

Como disse no post do (a) Cadeg, sou um viciado em bolinhos de bacalhau. E este estava no mesmo nível dos melhores daquele dia. Bem temperado, salgadinho na medida e com uma proporção boa do peixe com a batata. Tudo coroado por um azeite português que se não era extra virgem ao menos não era um óleo vagabundo. E quem comanda de perto por ali é Seu Armando, portuga dono do local.

Com saída rápida, é raro você chegar no balcão e encontrar um bolinho frio.. A reposição é constante!

Com saída rápida, é raro você chegar no balcão e encontrar um bolinho frio.. A reposição é constante!

Não comemos prato. Ficamos apenas na dobradinha chope e bolinho. Mas os pratos chamaram atenção. Vi passar um Bacalhau a Zé do Pipo e um a Gomes de Sá. Ambos custavam entre R$ 100 e R$ 120, mas eram muito bem servidos e pareciam extremamente saborosos. A vitrine do balcão expõe também as sobremesas. Doces tradicionais portugueses entre R$ 5 e R$ 7.

Barriga de freira, pastel de belém, quindim... A vitrine de doces chama atenção!

Barriga de freira, pastel de belém, quindim… A vitrine de doces chama atenção!

Energias repostas, fomos lá acompanhar as meninas que se esbaldaram na pracinha em um típico programa carioca. O sorriso da Maya no cavalo mostra que vale a pena. Já a Bochecha ainda estranhou um pouco e no primeiro passo ameaçou o choro. Não importa. Mais alguns meses e as lágrimas viram alegria rapidinho. Enquanto isso, tome bolinho!

Maya abre o sorriso antes do passeio no Aladdin... Clima da praça é maravilhoso para crianças..

Maya abre o sorriso antes do passeio no Aladdin… Clima da praça é maravilhoso para crianças..

Clara ainda meio tensa em cima do Aladdin.. Foi só dar o primeiro passo que o choro começou!

Clara ainda meio tensa em cima do Aladdin.. Foi só dar o primeiro passo que o choro começou!

Charretes disputam espaço com os cavalinhos na pracinha...

Charretes disputam espaço com os cavalinhos na pracinha…

A charrete leva a família.. Mais uma etapa do domingo de folga com as crianças..

A charrete leva a família.. Mais uma etapa do domingo de folga com as crianças..

A Praça Xavier de Brito conta com muitas opções para as crianças e um bonito chafariz..

A Praça Xavier de Brito conta com muitas opções para as crianças e um bonito chafariz..

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Pulled Pork.. O típico churrasco americano em sua casa.. Receita ideal para o fim de semana!

Folheando a Gula do último mês, me deparei com uma matéria que chamou atenção. O tema eram os Barbecues americanos (ou BBQ) e os personagens eram os chef e proprietários do recém inaugurado BOS BBQ, em São Paulo, que reproduz receitas típicas em qualquer casa nos Estados Unidos com o primeiro Pit (churrasqueira gringa) brasileira. Uma maneira de fazer churrasco que em nada lembra o nosso: todos puxados em condimentos e temperos. No fim, uma receita que me prendeu e prontamente fiquei com vontade de fazer. Aproveitando o tempo livre, e essa precisa mesmo de tempo, fui para a cozinha e fiquei mais do que feliz com meu Pulled Pork! Perfeito para fazer e curtir no fim de semana.

Cerveja gelada, uma passada de Heinz no pão e o pulled pork.. Sanduíche perfeito!

Cerveja gelada, uma passada de Heinz no pão e o pulled pork.. Sanduíche perfeito!

Como disse, é uma receita que demanda paciência e uma lista um pouco extensa de ingredientes. Mas o preparo propriamente dito é bem simples e o resultado final fica maravilhoso. Como estava fazendo pela primeira vez, segui tudo direitinho. Então anotem os ingredientes: 1 quilo de filé mignon suíno em filés, meia colher de chá de alecrim, uma pitada de tomilho, 2 cebolas médias em fatias, sal e pimenta do reino para temperar os filés, 4 alhos em fatias, azeite, 1 xícara e meia de água quente, meia xícara de suco de maçã, meia colher de sopa de açúcar mascavo, um terço de xícara de ketchup, 1 colher e meia de sopa de limão, 1 colher de chá de páprica doce, uma pitada de canela, um terço de xícara de vinho branco e gotas de molho de pimenta. Ah! Eu incluí na receita uma dedo de moça picada (mania de colocar em tudo!!!!).

Bancada organizada, ingredientes separados.. Tudo pronto para começar a sua receita...

Bancada organizada, ingredientes separados.. Tudo pronto para começar a sua receita…

O filé mignon cortado em bifes é a segunda parte do seu mise en place... Tudo organizado..

O filé mignon cortado em bifes é a segunda parte do seu mise en place… Tudo organizado..

 

Bancada organizada, já que a lista de ingredientes é longa, então vamos para o fogão. O primeiro passo é esquentar bem sua panela com azeite e fritar o filé mignon suíno cortado em bifes previamente temperados com sal e pimenta do reino.

Vá selando aos poucos os bifes de mignon suíno... Não precisa cozinhá-los até o fim.. É só para selar..

Vá selando aos poucos os bifes de mignon suíno… Não precisa cozinhá-los até o fim.. É só para selar..

Após deixar todos douradinhos, coloque mais azeite e entre com a cebola em rodelas, o alho em lâminas e a dedo de moça bem picada.

Após selar os filés, é a hora de murchar a cebola, o alho e a pimenta.. Não deixe queimar!

Após selar os filés, é a hora de murchar a cebola, o alho e a pimenta.. Não deixe queimar!

Após murchar, sem dourar, volte com os filés e entre com todos os ingredientes restantes. A receita não diz uma ordem específica, mas eu comecei com o vinho branco e terminei com a água quente. Entre eles entraram o açúcar mascavo, o suco de limão, o alecrim e o tomilho picados, a páprica, o ketchup, o suco de maçã, a canela, o suco de maçã e as gotas de molho de pimenta.

Após murchar a cebola, o alho e a dedo de moça, volte com os filés de porco para a panela..

Após murchar a cebola, o alho e a dedo de moça, volte com os filés de porco para a panela..

Após voltar com os filés, entre com todos os demais ingredientes.. Comece pelo vinho.. Depois não há ordem!

Após voltar com os filés, entre com todos os demais ingredientes.. Comece pelo vinho.. Depois não há ordem!

Entre com as xícaras de água quente e reduza o fogo para o mínimo possível... Agora começa a espera!

Entre com as xícaras de água quente e reduza o fogo para o mínimo possível… Agora começa a espera!

 

 

Agora é paciência. Coloque sua panela no menor fogo possível, tampe e relaxe. A receita diz para ficar entre 3h30 e 4h. O meu não ficou tanto tempo. Após 1h45, estava começando a secar e adicionei mais um pouquinho de água e um pingo de vinho.

Com o passar do tempo, o caldo vai reduzindo e o filé suíno começando a desfiar.. coloque mais um pingo de água após duas horas..

Com o passar do tempo, o caldo vai reduzindo e o filé suíno começando a desfiar.. coloque mais um pingo de água após duas horas..

Esperei mais 45 minutos mexendo ocasionalmente e depois de 2h30 estava pronto. Só de mexer com a colher de pau ele já desfiava, sem necessidade de ter de fazer com garfo.

Líquido seco e porco desfiado... Seu pulled pork caseiro está prontinho para ir para o pão!

Líquido seco e porco desfiado… Seu pulled pork caseiro está prontinho para ir para o pão!

O sabor ficou espetacular. Uma delícia mesmo. Picante e doce ao mesmo tempo, algo que valeu totalmente a espera. Você pode comer como prato acompanhado de arroz ou batatas. Mas fui na maneira tradicional. Ketchup no pão e o porco como recheio de um substancioso sanduíche, perfeito com uma cerveja gelada! Vale a pena a tentativa!

Pode ser perfeitamente servido em uma travessa como prato acompanhado de arroz ou outra coisa!

Pode ser perfeitamente servido em uma travessa como prato acompanhado de arroz ou outra coisa!

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Le Vin.. Tartare decepcionou pela expectativa, mas jantar valeu e muito a noite!

Sempre tive muita curiosidade de conhecer o Le Vin. E o motivo é simples: sou completamente viciado em Steak Tartare. E os comentários sobre o da casa paulista que chegou em Ipanema e já ganhou unidade na Barra eram os melhores possíveis. Então em uma noite muito agradável ao lado da Luninha e dos primos Ricardo e Mônica, fui finalmente debutar por lá. E para a minha surpresa, com certa ponta de decepção, o sonhado Tartare não foi nem de longe o ponto alto da visita.

A fachada da casa na Barão da Torre. Mesinhas na calçada dão um tom informal e descontraído..

A fachada da casa na Barão da Torre. Mesinhas na calçada dão um tom informal e descontraído..

Antes de chegar lá, comentários rápidos. A decoração da casa é muito agradável e de imediato remete aos bistrôs franceses. Toalhas quadriculadas, parede em tom amarelo, gravuras, um bonito bar… Tudo bem legal. Na entrada, as ostras frescas no balcão com gelo também dão um toque legal.

Em um tom amarelo, lembrou os autênticos bistrôs.. A decoração é sóbria e tudo combina com as toalhas..

Em um tom amarelo, lembrou os autênticos bistrôs.. A decoração é sóbria e tudo combina com as toalhas..

Logo na entrada chama atenção o balcão expondo as ostras frescas que fazem muito sucesso na casa..

Logo na entrada chama atenção o balcão expondo as ostras frescas que fazem muito sucesso na casa..

Espumante pedido, Chandon Brut por R$ 98, preço extremamente salgado em comparação com outras casas (no Manekineko por exemplo o rosé sai por R$ 89), fomos ao couvert. Trata-se de um pão da casa sempre quentinho e muito gostoso, reposto constantemente, com manteiga e patê – MUITO bom por sinal. Cobrado individualmente, mas peço desculpas porque me esqueci de anotar o preço.

Pão feito na casa sempre fresco e quentinho, patê delicioso e manteiga também saborosa.. Simples, mas bem gostoso o couvert...

Pão feito na casa sempre fresco e quentinho, patê delicioso e manteiga também saborosa.. Simples, mas gostoso

Era chegada a hora do Tartare (R$ 56). Pedimos como entrada. Ele chega acompanhado por fritas que sim, estavam perfeitas. Agora o prato em si, apesar de bem temperado e do frescor incrível, estava adocicado demais na minha visão. Era claro o gosto de ketchup. Os demais temperos lutavam e muito para aparecer, brigando mesmo com o molho de tomate. Como disse, gostoso, mas um pouco decepcionante principalmente pela expectativa que havia criado em minha cabeça.

O famoso steak tartare da casa estava um tom acima no adocicado.. Mas bem fresco e temperado..

O famoso steak tartare da casa estava um tom acima no adocicado.. Mas bem fresco e temperado..

Mas se a entrada decepcionou, o jantar não. Pedi um coelho que veio impecável. Carnudo, macio e bem úmido, veio regado por um molho a base de mostarda dijon que estava extremamente saboroso e marcante (R$ 78).

O coelho veio carnudo, molhadinho e com um intenso e saboroso molho de mostarda.. Belo prato..

O coelho veio carnudo, molhadinho e com um intenso e saboroso molho de mostarda.. Belo prato..

O acompanhamento também estava excelente. Simples batatas gratinadas feitas com muito carinho. Cortadas finas e com um molho saboroso. O gratinado também no ponto certo. Delícia.

Cortadas fininhas e com creme saboroso, as batatas gratinadas me surpreenderam pelo belo sabor...

Cortadas fininhas e com creme saboroso, as batatas gratinadas me surpreenderam pelo belo sabor…

Neste ponto, mudamos do Chandon para um Chardonnay americano: Columbia-Crest, também por R$ 98. Amadeirado, caiu bem mesmo com o molho forte de mostarda. O ideal era um tinto, mas o calor não permitiu.

O chardonnay americano bem amadeirado caiu bem com todos os pratos e amenizou o calor...

O chardonnay americano bem amadeirado caiu bem com todos os pratos e amenizou o calor…

Viciada em polvo, Luna aceitou a sugestão do atencioso staff da casa e pediu pernas de polvo grelhadas com tomate assado a provençal (R$ 78). Não como polvo, mas depois de muita insistência resolvi provar e constatei a maciez e a delicadeza do simples molho de azeite, ervas, alho e pimenta dedo de moça.

Tentáculos carnudos e muito macios de polvo com um delicioso tomate assado.. O molho estava perfeito!

Tentáculos carnudos e muito macios de polvo com um delicioso tomate assado.. O molho estava perfeito!

O tomate estava tão gostoso que pedimos mais uma porção. Simples e maravilhoso.

Os tomates estavam tão bons que pedimos uma porção extra.. Na medida com o toque de alho...

Os tomates estavam tão bons que pedimos uma porção extra.. Na medida com o toque de alho…

O terceiro prato não manteve, infelizmente, o nível dos anteriores. No cardápio, o salmão é anunciado como mal passado. No entanto, ao chegar na mesa, o peixe estava seco e indo justamente no caminho contrário do apontado pelo menu. Ao menos, o molho cítrico estava bem feito e amenizou (R$ 58). O acompanhamento foi o mesmo do coelho: batatas gratinadas.

O ponto baixo.. Apesar do molho cítrico estar certinho, só no olho já se percebia o ponto acima do salmão..

O ponto baixo.. Apesar do molho cítrico estar certinho, só no olho já se percebia o ponto acima do salmão..

Após a orgia gastronômica, ainda arrumamos espaço para dividir um creme brulée (segunda falha minha, mas também não anotei o preço. E estava muito bom, encerrando perfeitamente a noite. Saboroso e gelado, contrastando com a casquinha quente como manda o figurino.

O creme brulée veio certinho.. Casquinha ainda quente para interior geladinho e saboroso...

O creme brulée veio certinho.. Casquinha ainda quente para interior geladinho e saboroso…

No fim das contas, matei a vontade de conhecer o local. O Tartare decepcionou, mas o saldo foi positivo em função do belo jantar. Os preços são salgados sim, mas as porções, como visto nas fotos, são bem servidas. Éramos quatro, pedimos uma entrada e três pratos e no fim quase não conseguimos nos levantar. Vale a visita.

Mais informações, como vocês já sabem, sempre no Twitter e no Instagram (@GastroEsporte). Até a próxima! Beijos em todos! Ah! Lembrando que agora o Gastronomia por Esporte também está no Facebook! Cliquem e curtam a página! Por lá vocês vão conferir todas as novidades do blog! http://www.facebook.com/gastroesporte

Le Vin
– Rua Barão da Torre, 490, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ – (21) 3502-1002 / (21) 3202-2755
Seg a qui, do meio-dia à meia-noite; sex e sáb, do meio-dia à 1h; dom, do meio-dia às 23h