São Salvador… Choro, comida e bebida em um programa perfeito para os domingos..

“Até que alguma luz acenda, este meu canto continua
Junto meu canto a cada pranto, a cada choro,
Até que alguém me faça coro pra cantar na rua”

Chico Buarque cantou esses versos em “Um Chorinho”. A canção sofrida combina com a dica do fim de semana apenas no nome. Isso porque poucos programas na cidade hoje em dia me deixam tão alegres quanto o chorinho na feirinha de domingo na Praça São Salvador, em Laranjeiras. Esqueça a praia, luta por vaga, areia quente… Na praça, além da música de qualidade, tocada em uma roda ao lado do coreto que em certos momentos pode conter mais de 30 músicos ao mesmo tempo, você pode experimentar inúmeros quitutes, fazer refeições substanciosas ou apenas ficar nos drinks e na cervejinha. Perfeito para crianças, adultos, jovens… Não há padrão algum no público. Para as mulheres, muitas barracas de roupas e objetos de decoração. Já a gente faz o que mais gosta mesmo: come e bebe.

Crianças, idosos, jovens... Não tem qualquer padrão.. O público de domingo da São Salvador é o mais eclético possível

Crianças, idosos, jovens… Não tem qualquer padrão.. O público de domingo da São Salvador é o mais eclético possível

Para abrir os trabalhos, a barraca mais famosa e badalada é a do Luizinho. Suas caipis, que podem ser feitas com cachaça, vodka ou sakê, vendem que nem água. Tangerina com gengibre e frutas vermelhas são as mais procuradas. os preços variam em função da bebida e do rótulo. Batidas fazem parte do menu, que conta também com cervejas geladas. Lata de Bohemia por R$4 ou long neck da mexicana Sol com limão no gargalo por R$ 5. Quer comprar CD? Tem inúmeros por lá, mas com preços não muito convidativos. O amigo Moacyr Luz costuma brincar e dizer que ele é o único no país que ganha dinheiro com venda de discos. Acho que a brincadeira tem um fundo de verdade.

Sempre com fila e muito movimento, a equipe do Luizinho (ali ao fundo) faz caipis variados, vendem cerveja e CDs..

Sempre com fila e muito movimento, a equipe do Luizinho (ali ao fundo) faz caipis variados, vendem cerveja e CDs..

Os que não conhecem o já folclórico Luizinho se preparem: na hora de comprar o ticket é normal a demora, afinal de contas ele gosta de contar piadas e explicar cada detalhe de cada CD. E aí se forma a fila. Mas relaxa, é tradição e você está ali para esquecer os problemas.

Não quer encarar ou prefere fugir das anedotas? Vá para as adjacências. Na antiga Adega da Praça, você compra long necks de Heineken por R$ 3,50 ou Stella por R$ 4. Latinha de Budweiser sai a R$ 10 na compra de três. Se quiser sentar, Brahma e Antartica de 600ml acompanham o pastel ou o copinho de torresmo. Na Rua Senador Correia, um acanhado café vende rótulos importados e nacionais também. Infelizmente não fiz foto, mas prometo citar futuramente por aqui. Até Cerpa Tijuca você bebe por lá sempre com boa música. Mas voltemos para a praça, assunto da nossa conversa.

A música é de muita qualidade.. Muitos instrumentos e todos em harmonia promovendo uma roda de choro de qualidade..

A música é de muita qualidade.. Muitos instrumentos e todos em harmonia promovendo uma roda de choro de qualidade..

Imagino que a essa hora já tenha batido uma fome. Para iniciar os trabalhos, próximo ao chafariz uma barraquinha vende bolinhos de aipim maravilhosos. Se não achar relaxa, bate um papo e escuta o choro. Ela vai passar com uma cesta na mão oferecendo. Os recheios são três: camarão, carne seca e o meu favorito: escarola com gorgonzola. A massa poderia ser mais leve sim, mas o conjunto é saboroso e funciona muito bem. O preço da unidade é R$ 3,50, e na barraca ela ainda vende queijos e geleias.

Também por lá você encontra belos bolinhos de aipim com recheios variados... Foca no de escarola com gorgonzola.. Delícia..

Também por lá você encontra belos bolinhos de aipim com recheios variados… Foca no de escarola com gorgonzola.. Delícia..

Não vou citar todas as opções… Passaria o dia inteiro escrevendo. Temos quibes de forno, empadas (também ali por perto… a mexicana é ótima para quem curte pimenta), quiches… Uma barraca de outra senhora simpática ainda vende pimentas, geléia de pimenta e tomate seco caseiro… Tudo muito gostoso, acho que por R$ 10 o pote. As crianças ainda podem se deliciar com pipoca e o tradicional Picolé Rochinha.

Barraca do clássico picolé Rochinha... Perfeito para refrescar as crianças...

Barraca do clássico picolé Rochinha… Perfeito para refrescar as crianças…

Vamos então para a sustância! Agora vocês vão entender porque cheguei ao Lamas com pouca fome. As opções são muitas, mas neste caso vou destacar apenas o Point dos Caldos. Localizado mais afastado do choro, próximo aos Bombeiros, a barraca serve delícias a preços mais do que convidativos e com a simpatia da Rai, a elétrica cozinheira de mão cheia que comanda a barraca. Entre os caldos, feijão, batata com bacalhau e abóbora. Sempre gostosos. Os preços variam entre R$ 5 e R$ 10. Já nas refeições, língua, arroz de brócolis com bacalhau, dobradinha, estrogonofe..

Quem comanda a bagunça é a simpática e elétrica Rai (diminutivo de Raimunda).. As delícias saem das suas mãos!

Quem comanda a bagunça é a simpática e elétrica Rai (diminutivo de Raimunda).. As delícias saem das suas mãos!

Mas nada para mim supera a rabada. E aqui é tradicional mesmo. É muito legal poder comer rabadas chiques que já vem desfiada, mas no Point dos Caldos é a moda antiga. Caldo bem temperado, untuoso e que casa perfeitamente com a polenta. IncrívelVocê está na praça! Mete a mão mesmo e tira todos os pedacinhos que ficam no osso, como manda o figurino.

Agrião fresco na rabada quente e clássica do Point dos Caldos.. Sempre bem temperada, macia e com um caldo maravilhoso..

Agrião fresco na rabada quente e clássica do Point dos Caldos.. Sempre bem temperada, macia e com um caldo maravilhoso..

A digestão você faz andando por ali mesmo. O choro termina entre 14h e 15h. Ou seja, dá para sair de lá e ainda encarar um almoço de domingo. E como disse Chico lá em cima, façamos coro e vamos cantar na rua! Um abraço!

Anúncios

3 ideias sobre “São Salvador… Choro, comida e bebida em um programa perfeito para os domingos..

  1. Pingback: Uma tarde na cozinha de Roberta Sudbrack.. Simplicidade genial em uma experiência inesquecível.. | Gastronomia por Esporte

  2. Pingback: Luigi’s.. Italiano simples, correto e na medida para um domingo pós choro.. | Gastronomia por Esporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s